Nos últimos anos o e-commerce brasileiro tem andado na contramão da crise. Enquanto o varejo tradicional tem registrado queda nas vendas, o comércio eletrônico registra crescimento constante. Em 2016, o crescimento do e-commerce foi de 7,4%, com um faturamento de 44,4 bilhões. Para 2017, é esperado um crescimento de 10% a 15%.

Esse cenário promissor chama a atenção de empresas que querem aproveitar esse momento e expandir os seus negócios. A seguir, explicamos alguns tópicos que podem ajudar nessa decisão.

Loja virtual X Loja física

Quanto custa abrir um e-commerce? Essa é uma pergunta muito comum de quem vai começar nessa área. Infelizmente não existe uma resposta padrão para ela, pois o valor pode variar muito dependendo de qual produto será vendido ou qual plataforma será usada.

O que podemos adiantar é que esse custo será menor do que em relação a uma loja física. Os valores investidos com logística, plataforma, gerenciamento e processamento de pedidos são menores do que ter um espaço físico para receber clientes e contratar vendedores. Um dos fatores para o crescimento do e-commerce!

Outro fator importante é em relação a expansão. Com uma loja física você só irá atender localmente, ao passo que no comércio eletrônico é possível expandir o seu negócio nacionalmente e, em alguns casos, até internacionalmente.

Essa expansão é o principal fator de crescimento de alguns negócios e representa uma oportunidade para conquistar novos mercados. É uma chance de oferecer os seus produtos para um público novo em uma loja que ficará aberta 24h por dia, 7 dias por semana.

Nichos de mercado

Para o pequeno empreendedor, se especializar em um nicho ou segmento é uma boa maneira de se inserir no mercado e se destacar. O foco em apenas um segmento pode ser a solução para a sua empresa avançar e gerar o crescimento do e-commerce.

É possível encontrar diversos e-commerces especializados em um nicho, como lojas de camisetas com estampas engraçadas, pet shops com produtos de luxo, lojas que só vendem produtos para a barba ou, até mesmo, um e-commerce especializado em café gourmet. O fato é, essas lojas encontraram um nicho, se especializaram e se destacaram no mercado.

Definir um nicho de mercado afeta todas as escolhas que se referem a gerenciamento e investimento do seu e-commerce. Dependendo do tipo de produto que você for vender será necessário investir mais e possuir uma estrutura diferenciada.

Por exemplo: vender calçados pede um investimento menor do que vender eletrônicos. Assim como o processo de embalagem e envio será diferente, alterando o trabalho de logística.

O nicho é uma das principais etapas na construção de um e-commerce, a partir dele você define público alvo, linguagem, forma de atendimento e várias outras nuances do seu negócio.

Canais de venda

O e-commerce não se resume a vender apenas na sua loja. Atualmente o comércio eletrônico se espalha por vários canais diferentes de venda. Pequenas e médias empresas podem encontrar nesses canais uma boa forma para divulgar o seu negócio e engajar clientes, outra grande sacada para o crescimento do e-commerce.

Marketplace: O marketplace funciona como um shopping. São várias lojas vendendo em um único lugar, como se fosse uma grande vitrine virtual. O alcance de público desses canais costuma ser muito interessante para novos empreendedores, visto que eles irão expor os seus produtos em sites que já possuem uma boa reputação no mercado.

Essa integração com marketplaces muitas vezes é facilitada por plataformas de e-commerce que oferecem essa opção de forma nativa.

Entre os marketplaces mais conhecidos podemos citar Mercado Livre, Americanas, Submarino e Walmart.

Comparadores de preço: O comportamento mais comum dos consumidores no e-commerce é o de realizar pesquisa de preço antes de finalizar uma compra. Muitos consumidores acabam recorrendo a comparadores de preço, descobrindo a melhor oferta de forma rápida.

O cliente que usa esse tipo de busca já possui um grande potencial para finalizar a compra, e isso pode ser um ponto para incluir seus produtos nos comparadores.

Entre os mais conhecidos estão Google Shopping, Buscapé e Bondfaro.

Redes Sociais: Definitivamente o melhor canal para criar engajamento com o público. As redes sociais permitem que as lojas se aproximem do seu público, seja através de postagens sobre os seus produtos ou respondendo a comentários e mensagens. Cada rede possui a sua particularidade e pode ser explorada de forma diferente.

As mais usadas são Facebook, Instagram, YouTube e Twitter.

Escolher a plataforma ideal

A plataforma de e-commerce é o coração da sua loja e existem centenas de opções no mercado. Elas oferecem os recursos necessários para o gerenciamento da sua loja, tudo de forma muito intuitiva.

A maior parte das plataformas possui um gerenciamento simplificado e conta com treinamento de apoio para novos lojistas. Para decidir qual usar é preciso estudar quais as suas necessidades enquanto e-commerce e analisar quais plataformas atendem a essa necessidade.

O e-commerce apresenta boas opções para a expansão de Pequenas e Médias empresas, mas é preciso conhecer o mercado e traçar uma boa estratégia para o seu empreendimento.

Queremos convidá-los a conhecer a Plataforma de e-commerce da Shoppub, uma plataforma completa para atender pequenas, médias e grandes empresas. A plataforma é totalmente integrada com o sistema Bling e possui muitos recursos e integrações disponíveis para os seus lojistas.

Clique aqui para saber mais. 

Agora que você já sabe como gerar crescimento do e-commerce saiba também como um ERP ajuda na redução de custos da sua empresa!

 

Posts Relacionados

Deixe um comentário