A expansão constante da internet gerou um grande aumento na quantidade de lojas online no Brasil. Dados de uma pesquisa feita no primeiro semestre de 2017 revelam que houve um crescimento de 7,5% com relação ao mesmo período do ano anterior. Apesar de a pesquisa não ter distinguido entre e-commerce B2C e B2B, é importante ressaltar que existem importantes diferenças entre vender para pessoas físicas e pessoas jurídicas.

Neste post, vamos esclarecer essas diferenças e mostrar alguns exemplos de cada tipo de negócio. Confira!

O que é B2C e B2B?

Os dois termos são as siglas em inglês para Business to Consumer e Business to Business, que significam, respectivamente, “Negócios para consumidores” e “Negócios para empresas”. Na prática, o primeiro é uma venda para pessoa física e o segundo para uma pessoa jurídica.

Exemplificando: uma loja online de calçados é um negócio B2C, enquanto uma fábrica de calçados é um negócio B2B, pois ela vende para o lojista para que este, então, venda para o consumidor final.

Quais as diferenças entre e-commerce B2C e B2B?

A diferença mais importante, e que é responsável por todas as demais diferenças entre qualquer tipo de negócio B2C e B2B, é o cliente. Vender para uma pessoa física é completamente diferente do que vender para uma empresa. Os assuntos, a linguagem, a abordagem e os interesses, entre outros fatores, são exclusivos de cada tipo de cliente.

Mas alguns outros pontos são importante de serem destacados. Saiba quais:

Particularidades do mercado

O mercado de e-commerce B2C é muito mais volumoso, disperso e heterogêneo. Já o B2B, em geral, trabalha com um público mais seleto ou segmentado. Muitas vezes, as vendas são feitas em modo fechado, com aprovação de cadastro prévio e análise de crédito.

Outro ponto importante é que, no B2B, os tickets médios costumam ser bem maiores que no B2C, o que causa uma grande diferença no faturamento anual de cada um.

Psicologia de compra

No e-commerce B2C, a quantidade comprada por um mesmo cliente é variada, não costuma ter regularidade e são emocionalmente impulsivas. Essas características exigem que a plataforma escolhida seja extremamente intuitiva e persuasiva, com linguagem mais direta, que transmitam segurança e credibilidade.

Em contrapartida, no B2B a compra é racional, planejada, em grandes quantidades e com periodicidade regular e constante.

Diversidade nas políticas comerciais

A modalidade B2C é caracterizada por oferecer preços idênticos, independentemente do perfil do cliente. Por outro lado, o B2B trabalha com tabelas de preços diversificadas conforme o perfil do cliente, o que exige flexibilidade dos softwares dessa modalidade de e-commerce.

Cálculo de impostos e frete

Nas plataformas B2C, a preocupação com questões fiscais é bem pequena, já que não há variação entre o preço que está no produto e o preço pago pelo cliente, enquanto seu frete é estabelecido já na hora da compra.

Já no e-commerce B2B, é necessário levar em consideração taxas como IPI, ICM e DIFAL, além de que, se você escolher receber os pagamentos online juntamente ao pedido, então a plataforma precisa realizar todos os cálculos automaticamente. Há, também, duas taxas diferentes de frete nessa modalidade: o CIF (Cost, Insurance and Freight), em que a empresa vendedora arca com os custos, e o FOB (Free on Board), de responsabilidade do comprador.

Formas de pagamento

Enquanto no B2C há mais variedades para a compra, o B2B em geral traz mais restrições. É comum trabalhar com venda faturada, que envolve uma relação de confiança mais difícil de ser conseguida no e-commerce B2C.

Exemplos de operações online B2C e B2B

Agora que já sabemos as diferenças entre esse dois tipos de negócios, vamos listar abaixo alguns exemplos de operações online B2C e B2B:

Operações B2C

  • supermercados;
  • bares e restaurantes;
  • vendas de serviços de lazer;
  • lojas de varejo;
  • serviços domésticos, entre outros.

Operações B2B

  • atacadistas;
  • venda de softwares de automação da produção;
  • venda de materiais para profissionais especializados (médicos, esteticistas etc.);
  • venda de matéria prima para a indústria, entre outros.

Como vimos, existem diferenças significativas entre vender para o consumidor final e vender para empresas. Portanto, é preciso estar sempre atento para agir da maneira correta com seus clientes. Entre em contato conosco e esclareça todas as suas dúvidas sobre e-commerce B2C e B2B!

Categorias: E-commerce

Posts Relacionados

Deixe um comentário