pagamento recorrente se tornou mais acessível nos últimos tempos. Antes era privilégio de alguns! Mas agora expandiu o seu alcance e se mostra como uma excelente opção para ter um controle maior sobre as contas a pagar e receber.

Esse tipo de pagamento antigamente era usado mais pelas empresas prestadoras de serviços como assinaturas de revistas, TV a cabo, cursos, escolas e academias. Agora ele está presente em outros meios, por exemplo, a venda de produtos.

Para explicar mais como ele funciona e quais suas vantagens, listamos algumas dicas explicativas sobre esse assunto. Confira!

Conceito de pagamento recorrente

Antes de tudo, é necessário entender qual o conceito que define o pagamento recorrente. Uma descrição clássica diz que o pagamento recorrente é aquele feito de forma contínua para que a prestação de serviço possa ser realizada. Isso se encaixa bem nos exemplos citados como assinaturas de revistas, mensalidades de cursos, academias, entre outros.

O tempo de duração desses serviços normalmente é definido via contrato. O que traz segurança jurídica para o processo e estabelece os prazos de vigência. Incluindo em muitos casos um período mínimo de permanência.

Pagamento recorrente x parcelamento

Apesar de ambos serem bem diferentes, é natural que haja uma confusão por causa do conceito de pagamento periódico que os dois apresentam. A questão aqui é que o parcelamento é a divisão de um valor único em um número X de parcelas em que, após chegarem ao fim, quita-se o débito (uma nova compra do mesmo produto gera novas parcelas).

Já o pagamento recorrente é feito com base em um período definido da prestação de serviço (mensal, trimestral, etc.). A diferença principal em relação ao parcelamento é que o pagamento recorrente está ligado à manutenção dessa prestação de serviço.

Caso o pagamento não seja feito, o serviço poderá/deverá ser suspenso. No parcelamento, isso não acontece, já que o não pagamento acarretará em débito do cliente com a empresa onde adquiriu o produto.

Pagamento recorrente com boleto bancário

O boleto é a forma mais tradicional para o pagamento recorrente. A Febraban (Federação Brasileira de Bancos) já informou e começou a valer a partir do dia 13 de janeiro as cobranças de boletos passou a valer com base na Nova Plataforma de Cobranças dos bancos para os valores igual ou acima de R$ 50 mil. E ao longo deste ano todos os boletos do país passarão a exigir registro! Entenda: Boletos deve elevar custos.

E como consequência o empreendedor vai encontrar mais segurança nos processos de emissão de boletos bancários. Mas com isso os custos estão mais altos, ainda mais com negociando com os bancos.

Pensando nisso, o Bling lançou recentemente parceria com o Moip! Onde o valor da emissão sai por valor fixo de R$ 2,29 por boleto, enquanto o sistema bancário chega a passar os R$ 10.

Saiba mais: Parceria Bling e Moip!

Vantagens do boleto na recorrência

A grande vantagem do boleto na recorrência está na otimização das operações. Esse fator ajuda tanto na organização da empresa em relação às cobranças como para os clientes sobre os pagamentos que devem ser feitos.

Para quem tem medo da inadimplência no pagamento via boleto e usa o exemplo do cartão de crédito para defender a ideia. Há duas questões importantes a serem levadas em conta.

A primeira é que o pagamento recorrente via boleto apresenta uma taxa reduzida de inadimplência porque facilita o controle dos clientes quanto aos seus compromissos financeiros.

Outra questão é que, por mais que possa haver uma inadimplência maior do que no cartão, o custo operacional para gerar um boleto é menor do que as taxas cobradas pelas operadoras. O que pode ser bastante benéfico em alguns casos.

Aquisição de serviços com a cobrança recorrente

Serviços tradicionais como os mencionados normalmente já entram como pagamento recorrente. A novidade é que muitos lojistas estão usando essa forma de pagamento, pois ajuda a ter um bom fluxo de caixa.

Para o cliente, a possibilidade de conseguir preços melhores via pagamento recorrente é uma grande vantagem (assinaturas em planos anuais são um exemplo disso). O mais legal é que os tipos de assinatura estão cada vez mais variados: comidas, cervejas artesanais, cinema, livros, produtos pet e vários outros.

O número de lojas que aceitam essa modalidade também deve crescer bastante. O que torna o pagamento recorrente mais atrativo ainda.

E você? O que acha do pagamento recorrente? Já utiliza no seu dia a dia? Deixe seu comentário!

Posts Relacionados

Deixe um comentário