O planejamento do fluxo de caixa é um dos principais passos para as empresas conquistarem uma gestão financeira saudável. Pois, dessa forma, o gestor consegue ter o controle das movimentações sobre entradas e saídas, por exemplo.

E, nos dias atuais, esse tipo de gerenciamento é ainda mais simples, porque as demandas são facilmente otimizadas pelos softwares de gestão. Na correria dia a dia, eles são imprescindíveis, porque deixam tudo em ordem, facilitando as tomadas de decisão do empreendedor.

Quer entender um pouco mais? Neste artigo, destacamos o conceito de fluxo de caixa e apontamos excelentes soluções de implementação. Boa leitura!

O que é fluxo de caixa?

Trata-se de um recurso gerencial que informa e controla as movimentações financeiras de dinheiro da empresa.

Essa metodologia nos permite analisar, revisar e, até mesmo, realizar previsões da realidade financeira de curto, médio e longo prazos, já que os dados contemplam referências importantes, tais como contas a pagar e receber.

Dessa forma, temos a chance de investir, negociar e planejar, sem comprometer a estabilidade orçamentária da organização.

Para que serve?

O fluxo de caixa é um instrumento que traz segurança na hora de planejar. Por meio dele, o gestor visualiza, analisa, calcula, prevê e controla as movimentações futuras, já que ele permite a identificação daquilo que falta e sobra no caixa. Em geral, o fluxo de caixa é composto por:

  • entradas: corresponde ao dinheiro que entrou ao longo do período (depósitos, transferências, recebimentos);
  • saídas:  dinheiro que saiu do caixa ao longo do período (aluguel, equipamentos, material de escritório, impostos, condomínio, energia elétrica, telefone);
  • saldo operacional: é basicamente tudo o que entrou menos o total daquilo que saiu. Ou seja, é o saldo disponível no período, sem levar em conta o saldo disponibilizado anteriormente;
  • saldo final: é o somatório do saldo operacional com o inicial. Logo, é tudo aquilo que restou no caixa durante o período.

Como implementar?

O fluxo de caixa pode ser feito manualmente, por meio de planilhas do Excel, agendas e cadernos. No entanto, esse método não é muito confiável, uma vez que potencializa as chances de erros. O recomendado é que você faça isso utilizando softwares específicos. Para começar:

  • registre diariamente as entradas e saídas;
  • planeje recebimentos e pagamentos futuros;
  • verifique o saldo diariamente;
  • avalie a necessidade de capital de giro, em caso de situação deficitária;
  • decida pela aplicação de recursos e investimentos quando a situação for favorável.

Quais são os principais benefícios?

Ao conhecer o fluxo de caixa da sua empresa e, assim, saber exatamente o que fazer com as informações geradas, você pode, por exemplo, antecipar as tomadas de decisão em prol da obtenção de vantagens competitivas.

E as vantagens não param por aí, porque isso te deixa a par da situação real das finanças e dos desperdícios. Logo, tem a oportunidade de alinhar as ações, sobretudo, para otimizar melhor os recursos disponíveis.

O fluxo de caixa positivo é a meta de qualquer empreendedor. No entanto, para chegar a esse patamar, é preciso disciplina e observação apurada, uma vez que a gestão eficiente favorece a tomada de decisão.

Gostou do nosso artigo? Agora que você já sabe o que é fluxo de caixa, veja como obter lucro no comércio eletrônico!

Posts Relacionados

Deixe um comentário