Você conhece o Global Trade Item Number, conhecido como GTIN? Ele é a parte numérica que, acompanhado da barra, forma o código de barras. No post de hoje, você irá saber tudo o que precisa sobre este identificador comercial. Compreender como é a sua estrutura básica e descobrir como ele é desenvolvido para identificar diferentes produtos e serviços que serão comercializados. Você também irá compreender os benefícios. Os tipos de produtos e quais são as vantagens para o comerciante ao aderir a este tipo de codificação.

SAIBA COMO ECONOMIZAR NA EMISSÃO DE BOLETOS COM REGISTRO

O que é o GTIN?

O GTIN foi desenvolvido e é controlado pela GS1, antiga EAN/UCC. Pode ser descrito como um identificador para produtos. Uma chave global que identifica um determinado item comercial que precisa ser precificado. Requisitado ou faturado, o GTIN pode identificar o item em qualquer momento em que ele aparecer na cadeia de suprimentos.

Depois que você determina um determinado GTIN para um produto, ele jamais poderá ser alterado ou utilizado em outro item.

Para que serve o GTIN?

Ele é utilizado para a recuperação de informações que já haviam sido previamente definidas e que irão abranger todo o processo produtivo, indo, assim, desde a matéria-prima até o produto acabado. A utilização da sigla serve para descrever uma “família” ou, ainda, um grande código de identificação das estruturas de dados da GS1. Tanto para mercadorias quanto para serviços.

Essa estrutura de dados pode ter diferentes tamanhos, começando com oito, passando pelo doze, treze e indo até catorze dígitos. Que poderão ser utilizados de acordo com a aplicação a que se referem. De acordo com a Secretaria da Fazenda de São Paulo, “o GTIN-8 é codificado no código de barras EAN-8. O GTIN-12 é mais comumente utilizado no código de barras UPC-A, o GTIN-13 é codificado no EAN-13 e o GTIN-14, no ITF-14.”

Como fazer a identificação dos produtos

A identificação de produtos com o código começa com a utilização do código GS1 que foi atribuído a sua empresa pela GS1 Brasil. Por exemplo, em um código GS1 formado por treze dígitos, os nove primeiros dígitos serão relativos ao prefixo GS1 que foi definido para aquela determinada empresa.

Posteriormente, são adicionados três dígitos referentes à atribuição pelo detentor da marca dos produtos que estão sendo comercializados. Eles poderão variar entre dois a cinco dígitos. Dependendo da estrutura do código de barras. Por fim, com base no Cadastro Nacional de Produtos, será calculado o dígito verificador. Após esses passos, é criado um Número Global do Item Comercial, o GTIN.

Lembre-se que o código jamais poderá ser alterado. Portanto, todo o processo de criação e gerenciamento dos GTINs de seus produtos é de extrema importância.

Quais as vantagens de utilização do GTIN?

Como você pode perceber, a utilização automatiza todos os processos envolvendo produtos e serviços. É possível controlar de forma automática todo o recebimento, processo de estoque, conferência de notas e também a questão da rastreabilidade do que será comercializado.

E então, ficou interessado nessa novidade ou tem mais dúvidas sobre como o GTIN pode beneficiar seu negócio? Deixe seu comentário abaixo e compartilhe suas experiências ou questionamentos com a gente!

Posts Relacionados

14 Comentários

  1. Carlito

    14/06/2017 at 00:45

    Muito esclarecedor. Com essas informação sobre.o GTIN. Que eu ainda não tinha conhecimento desse codico..Pois agora estou .mais ciente. Como usar

    1. Bling

      Bling

      14/06/2017 at 09:48

      Que bom que gostou!
      Continue acompanhando os conteúdos aqui do blog, pois sempre trazemos assuntos importantes para os empreendedores. 😉

  2. Daniel Bettoni

    29/06/2017 at 15:27

    Boa tarde, tenho um produto que vou lançar no mercado e estou precisando do codigo de barras, alguem poderia me orientar como posso proceder?
    Obrigado

    1. Bling

      Bling

      30/06/2017 at 08:40

      Oi, Daniel!
      O código deve ser adquirido no mercado com a EAN ou GS1. No Bling, você informa o código nos campos correspondentes e o sistema permite criar um código de barras para controles internos. Você pode consultar com nosso suporte ou contato comercial (comercial@bling.com.br).
      Continue acompanhando os conteúdos aqui do blog. 😉
      Abraço da equipe Bling!

  3. lucas

    28/07/2017 at 00:49

    Gostaria de ter acesso ao banco de dados do gtin, para integrar as informações ao sistema que estou desenvolvendo. Estou com dificuldades para obter, sabe onde posso conseguir ou como proceder?

    1. Bling

      Bling

      31/07/2017 at 14:29

      Oi Lucas, boa tarde! Peço você pode ler o nosso manual: http://manuais.bling.com.br/api . Pedimos também que seja enviado e-mail com a dúvida para comercial@bling.com.br . Lá vão tirar com mais precisão a sua dúvida.

      Abraços.

  4. clima

    24/01/2018 at 17:06

    Os códigos GTIN serão Obrigatórios a partir de quando nas NFE´s? e se realmente serão aceitos SOMENTE os códigos gerados pela GS1, eu acho isso extremamente questionável, apenas uma entidade ser responsável por este processo e cobrar o valor de associação (ANUIDADE) que ela quiser. Onde esta a concorrência?

    1. Bling

      Bling

      07/02/2018 at 09:36

      Olá bom dia!
      Você pode conferir o cronograma para validação do GTIN no site da Confaz: https://www.confaz.fazenda.gov.br/legislacao/ajustes/2017/AJ_011_17
      E também pode saber mais sobre o GTIN, neste post que fizemos em nosso blog: http://blog.bling.com.br/gtin-tudo-o-que-voce-precisa-saber/

      Abraços da equipe Bling e sucesso nos negócios! 😉

  5. Mateus

    28/02/2018 at 00:38

    Eu consigo cadastrar produtos no estoque do bling sem ter que preencher nome, só escaneando o GTIN? O Bling consegue puxar os dados do GTIN automaticamente?

    1. Bling

      Bling

      28/02/2018 at 11:25

      Oi Mateus, bom dia! tudo bem? Você pode consultar em nosso manual:
      Para inserir um produto por seu código de barras (GTIN/Embalagem) é necessário Ativar leitor de código de barras, e realizar a leitura. Para acrescentar a quantidade de itens deve-se escrever da seguinte maneira quantidade*código do produto. Ex: 3*8965412874590.

      Abraço da equipe Bling e sucesso nos negócios! 😉

  6. FREDERICO REZENDE ARANTES ARAUJO MOREIRA

    28/02/2018 at 10:09

    no meu caso que são produtos artesanais, como eu faço 😕

    1. Bling

      Bling

      28/02/2018 at 10:31

      Oi Frederico bom dia! tudo bem? O código deve ser adquirido no mercado com a EAN ou GS1! Qualquer dúvida entre em contato com a gente! 😉

  7. Fabricio Rolim Ferreira

    13/03/2018 at 10:55

    Bom dia < estou com uma dúvida meu cliente tem um cadastro de material por exemplo Rolamento , mas esse rolamento é comprado de três fornecedores diferentes . Pergunta , mesmo sendo o mesmo produto cada fornecedor vai ter um GTIN diferente ?

    No aguardo Fabricio

    1. Bling

      Bling

      14/03/2018 at 17:23

      Oi Fabricio boa tarde!

      O GTIN é para cada produto, dá uma lida:

      Abraços! 😉

Deixe um comentário