Um conceito que ganha cada vez mais espaço nas vendas online é o de sistema de marketplace. Basicamente, trata-se de espaço virtual com muita audiência onde lojistas independentes expõem seus produtos — como se fosse um e-commerce comunitário. Mas, você sabe o que é marketplace reverso?

No post de hoje discutiremos o que ele é, uma evolução desse conceito. Apesar de recente, esse é um sistema que tem tudo para dar certo aqui no Brasil.

Fique ligado para aprender todos os detalhes sobre essa nova forma de vender pela internet e utilizar nossas informações para se sobressair em meio à concorrência!

Descubra o que é marketplace reverso

Esse conceito é totalmente novo em terras tupiniquins — só começou a ser abordado por aqui em 2017 —, mas a lógica não é nada complexa. O esquema reverso nada mais é que um marketplace que expõe um mix de produtos dentro de outro. Dessa forma, os mesmo produtos são exibidos a um número muito maior de pessoas.

Quer um exemplo prático?

Imagine que o marketplace “A” quer dar mais visibilidades a algumas categorias vendidas por ele e por seus lojistas. Então, ele firma parceria com o marketplace “B” e, agora, os produtos são apresentados nas duas plataformas. Para os lojistas, essa prática é vantajosa porque as chances de vendas multiplicam.

Em contrapartida, o número de concorrentes também aumenta!

Entenda as diferenças entre os dois estilos de venda

A união com um parceiro permite que os marketplaces expandam o leque de produtos ofertados, aumentando, assim, a quantidade de acessos e vendas. Outro fator interessante é que ambos ganham competitividade para brigar com concorrentes maiores.

Para os lojistas, há uma possibilidade de exposição muito maior sem ter necessariamente que pagar mais por isso. É como se fosse uma promoção do tipo “pague por um e exponha em dois”.

De resto, nada muda: preço, envio de produtos e outros detalhes continuam sob responsabilidade do lojista. Aí, vale a atenção para não acabar vendendo o mesmo produto duas vezes e ficar com furo no estoque.

Conheça algumas marcas que já adotam esse estilo de negócio

Apesar de ser uma prática recente, alguns dos maiores players do mercado já adotaram essa modalidade e a tendência é que mais marcas se unam nessa nova estratégia de vendas. Entre os principais marketplaces que aderiram à prática, podemos citar:

  • Via Varejo (Cnova);
  • Buscapé;
  • Ricardo Eletro;
  • Cissa Magazine.

Além deles, uma das uniões mais famosas aconteceu entre Walmart e Saraiva. A rede de livrarias passou a oferecer algumas categorias de produtos de seus sellers dentro da varejista americana. Um dos principais motivos pode ter sido a expansão da Amazon, outra gigante do ramo no mercado brasileiro.

Com essa nova modalidade de exposição, a tendência é que outros marketplaces se unam e fiquem mais completos, com categorias diversas e preços nivelados. Até o momento, esse estilo de negócio se mostra vantajoso para ambas as partes. A integração pode se dar de maneira tão simples quanto a lógica do sistema reverso.

Agora que você já sabe o que é marketplace reverso, o que acha da possibilidade de se unir ao Buscapé? Descubra como é simples!

Outra grande integração marketplace é o grupo CNova, que ocupa grande espaço no mercado com lojas de peso como o Extra, Casas Bahia e Ponto Frio.

Compreendeu o que é marketplace reverso? Caso tenha ficado com alguma dúvida deixe pra gente nos comentários que respondemos! 

Posts Relacionados

Deixe um comentário