Abrir um negócio online é uma excelente oportunidade de se tornar empreendedor. Porém, no mundo virtual, nem tudo é tão simples quanto parece. É necessário fazer um planejamento adequado, assim como em todo o tipo de empreendimento. Bem como definir o modelo de negócios a ser adotado. Considerando algumas variáveis importantes nessa escolha.

Há ainda quem já tem uma loja física, mas quer expandir esse negócio para o universo virtual e começar a vender seus produtos pela internet também. Mantendo um modelo misto e integrado. Em todo o caso, é preciso definir as atividades e adequar o plano de negócios. Já que o e-commerce pode ter público, sistema logístico e outros aspectos diferentes da loja física.

LEIA TAMBÉM: Como emitir boletos bancários com registro por R$2,29.

Para te ajudar, elencamos a seguir as principais dicas e exemplos de modelos de negócios para e-commerce para que você se enquadre no que melhor atenderá às suas expectativas e necessidades. Trazendo boas chances de sucesso. Confira!

Defina o tipo de produto ou serviço que deseja vender e o foco do negócio

É fato que, hoje em dia, é possível vender todo e qualquer tipo de produto ou serviço pela internet. Mas, dependendo das características de suas ofertas, o modelo de negócios para e-commerce pode variar bastante. Veja:

  • Bens tangíveis

Se a sua ideia for montar um negócio que ofereça produtos tangíveis, como roupas, sapatos, acessórios e demais utilidades do dia a dia ou até mesmo equipamentos eletrônicos de pequeno e médio porte, com foco no consumidor final (modelo B2C, ou Business-to-consumer). Você poderá investir em uma plataforma que permite criar uma verdadeira loja virtual.

Assim, o cliente poderá encontrar uma vitrine online de produtos, visualizar fotos em diversos ângulos. Entre outras possibilidades parecidas com a da realidade física.

No entanto, se você for comercializar os mesmos produtos na qualidade de fornecedor para clientes como outras empresas de pequeno ou até maior porte (no modelo B2B, ou Business-to-business), é provável que sua página virtual tenha outro foco e que os estoques sejam relativamente amplos. Necessitando de ainda mais integração entre plataforma online e gestão dos recursos materiais.

  • Bens intangíveis

Por outro lado, se o seu e-commerce vender produtos digitais ou serviços (tais como consultoria, aulas online, entre outros), independentemente de ser B2B ou B2C, é preciso tomar cuidado com a proteção de seu site para não correr o risco de ter sua ideia plagiada.

O design do seu website também será diferente. Pois o mais importante será investir em conteúdo para explicar a respeito do serviço que a sua empresa presta. Esse modelo, inclusive, permite diminuir ou simplesmente não ter preocupações relativas a estoques, o que pode ser bastante vantajoso.

LEIA TAMBÉM: Pró-labore x salário: quais as diferenças entre eles?

Estabeleça o modelo de negócios mais atraentede acordo com público e objetivos

Como você deve ter percebido, há destacadamente dois tipos principais de negócios:

  • B2C (destinado ao consumidor final);
  • e B2B (destinado a outras empresas).

A escolha entre os dois irá variar de acordo com o público que você quer atingir.

Embora existam outros modelos não tão comuns. Como alguns voltados aos próprios funcionários de determinada empresa ou de consumidor para consumidor, em uma venda mais direta e de livre oferta online. É muito provável que sua atividade se enquadre nos anteriores. Nesse caso, você deve investir na criação de uma plataforma online que dê sustentação à sua atividade de forma personalizada e focada, com controle efetivo de todos os procedimentos.

Adote um sistema facilitador de gestão

Por fim, qualquer que seja a escolha mais adequada para você, é válido ressaltar a importância de apostar em um sistema de gestão empresarial eficaz, que ajude a integrar as diferentes etapas do processo de vendas online e garantir o bom andamento dos trâmites envolvidos nas compras dos clientes e assegurando-lhes, assim, atendimento satisfatório.

Sistemas online facilitadores como esses auxiliam, sobretudo, na solução dos principais problemas de comércios eletrônicos. Evitando entraves técnicos ou comerciais por permitirem maior controle por parte dos empreendedores, bem como simplicidade no que diz respeito à burocracia administrativa, a qual envolve:

  • Geração de notas fiscais eletrônicas;
  • controle dos estoques e logística;
  • emissão de ordens de serviço;
  • equilíbrio de contas a pagar e a receber (instituição do equilíbrio);
  • e emissão de boletos.

Contar com um software para a execução dessas tarefas reduz custos, organiza melhor a rotina do e-commerce e, consequentemente, aumenta seus lucros e suas chances de crescimento.

Conseguiu definir o modelo de negócios do seu e-commerce? Fale conosco caso ainda tenha ficado com alguma dúvida e continue acompanhando nosso blog para mais dicas!

Posts Relacionados

Deixe um comentário