Quem vende na internet sabe que o mercado continua crescendo nos últimos anos e a nova lei do e-commerce visa melhorar ainda mais a usabilidade do consumidor e como consequência diminuir o número de reclamações.

Para ter uma ideia, dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) apontou que em 2017 o comércio eletrônico cresceu 12% em comparação ao ano anterior, somando um faturamento de R$ 59,9 bi. E em 2018 a previsão é que cresça 15% com faturamento de R$ 69 bilhões.

LEIA TAMBÉM: A importância de um ERP para o e-commerce!

Entenda a nova lei do e-commerce

A nova lei nº 13.543 foi publicada no Diário Oficial da União no final de 2017 e definem especificações na forma de divulgar os preços nos anúncios de produtos e serviços online. Garantindo ao consumidor maior clareza nas compras.

Agora é preciso tomar cuidado e deixar claro o valor das peças nos anúncios. De maneira clara com letras grandes e caracteres legíveis.

A fonte não pode ser inferior a 12 em nenhuma hipótese.

LEIA TAMBÉM: E-commerce B2C e B2B: quais as diferenças entre eles?

Objetivo

O objetivo da nova lei do e-commerce é melhorar ainda mais a clareza nos anúncios de produtos e serviços online. Visto que hoje uma das maiores reclamações dos consumidores é exatamente essa, a dificuldade de entender os valores do produto!

Também evita que pessoas de má intenção continuem agindo na tentativa de enganar os compradores com valores pequenos e ilegíveis.

Evite transtornos

Evite transtornos com o descumprimento da nova norma! Que pode trazer sanções administrativas previstas no artigo 56 do Código de Defesa do Consumidor, que prevê multas, suspensão temporária da atividade e outras penalidades. Já imaginou?

Agora que você já entendeu sobre a nova lei do e-commerce conheça as obrigações fiscais e contábeis para 2018!

Categorias: E-commerce

Posts Relacionados

Deixe um comentário