Uma pergunta frequente que circula entre os empreendedores, sobretudo aqueles iniciantes no ramo do comércio eletrônico, é: qual é a melhor plataforma de e-commerce?

A preocupação é pertinente, afinal, ninguém quer ficar na mão ou perder dinheiro em um investimento. Mas antes de respondermos a essa questão, você deve saber que a experiência do cliente precisa ser levada em conta, especialmente nesta época em que as vendas por meio de dispositivos móveis só crescem.

A estética da plataforma importa, pois um layout bem planejado ajuda a direcionar as ações dos cliente. Contudo, a aparência é só uma das partes do planejamento. A funcionalidade, a responsividade e a gestão também fazem parte do pacote.

Quer saber como pensar em cada um desses aspectos e escolher a melhor plataforma de e-commerce para sua loja virtual? No post de hoje, separamos alguns modelos para que você compreenda as principais características e as adeque segundo as necessidades do seu negócio. Continue a leitura!

Escolhendo a melhor plataforma de e-commerce

Em uma loja virtual, a parte que o cliente visualiza e na qual navega é chamada de front end, por se tratar da área frontal do site. Já a back end reúne as funções que permitem o gerenciamento do lojista, e o consumidor não tem acesso a esse espaço.

Atualmente, o mercado disponibiliza pelo menos quatro modelos de plataformas: alugada, própria, de código aberto e gratuita. As particularidades de cada uma ajudam o empreendedor a tomar a decisão mais adequada para o momento. Fique de olho:

Alugada, ou Software as a Service (SaaS)

As plataformas alugadas, também conhecidas como SaaS (“Software as a Service”, ou “programa como serviço”) são ótimas para os empreendedores com recursos financeiros reduzidos. Com custo menor e rápida implementação, suas atualizações são automáticas e os layouts, padronizados. Ou seja, seu design não pode ser alterado.

Mas, apesar disso, os provedores costumam oferecer suporte e segurança, pois são especialistas no assunto. Assim, o seu foco fica direcionado às demandas operacionais e ao atendimento ao cliente. Além do mais, você pode escolher o pacote mais adequado de acordo com o orçamento disponível.

como-escolher-plataforma-de-ecommerce

Própria

Comprar a licença do software é a opção mais indicada para grandes negócios, pois a sua implantação demanda muito dinheiro, além de profissionais especialistas. Por outro lado, a plataforma própria é totalmente adaptável ao seu projeto.

A compra do código pode ser feita a partir de um desenvolvedor ou de uma empresa especializada. Atenção! Apesar da aquisição, a obra não se torna sua propriedade; você apenas ganha a permissão para usar o sistema.

Ou seja, a loja é sua, mas o código não. Nesse caso, é feito um investimento inicial e, também, um futuro pagamento anual pela manutenção do serviço.

Código aberto, ou open source

As plataformas de código aberto (ou “open source”), como o nome indica, têm licenciamento livre. Seu código é gratuito e pode ser consultado, analisado e modificado à vontade. Dessa maneira, é possível realizar a customização total da loja e adequar o design ao planejamento.

Grandes nomes, como Nescafé e Saraiva, fazem uso desse sistema. Entretanto, você deve possuir conhecimentos básicos para dar sequência ao desenvolvimento da plataforma. Como provavelmente será necessário contratar mão de obra especializada, a plataforma open source acaba gerando alguns gastos, mesmo sendo gratuita.

Gratuita

Aqui você não paga para inserir os seus produtos, tampouco deve se preocupar com as questões técnicas. Tudo fica por conta do provedor! No entanto, a segurança se torna um pouco vulnerável pelo fato de você ter que usar plugins de terceiros. Além disso, a performance tende a ser prejudicada nos quesitos de velocidade e conversão.

Por isso, normalmente as plataformas de e-commerce gratuitas possuem pacotes pagos, tendo em vista que o cliente poderá crescer e adquirir mais recursos e funcionalidades. Começar com uma plataforma free e migrar para o plano pago é uma boa solução para quem já está adaptado ao sistema e não quer mudar para um novo.

Qual é a melhor plataforma de e-commerce? Independentemente da sua escolha, é importante que você também se atente para a integração de um sistema de gestão, que organiza os processos e evita transtornos operacionais.

Gostou das dicas que apresentamos neste post? Quer continuar aprimorando cada vez mais sua empresa? Então, curta a nossa página do Facebook e fique por dentro de todo o nosso conteúdo!

Categorias: E-commerce

Posts Relacionados

Deixe um comentário