Diversos comerciantes vêm transformando sua presença nas redes sociais em vitrine para seus produtos e serviços. Enquanto os usuários curtem uma postagem ou outra, encontram uma variedade imensa de mercadorias e, muitas vezes, fecham o pedido na hora. Essa prática é chamada de social commerce. Você já ouviu falar?

O que é social commerce

O termo social commerce é utilizado para definir a união do e-commerce com as mídias sociais. A ideia, além de captar clientes, é envolver o público das redes sociais com os produtos e a filosofia da empresa, com o intuito de gerar interação e envolvimento, assim os usuários podem propagar as informações entre os milhares de membros que fazem parte do seu círculo social. Como resultado, sua marca chega mais longe, ultrapassando barreiras geográficas para ganhar popularidade e clientes em potencial. O social commerce, afinal, pode ser entendido como o boca a boca do comércio eletrônico.

Além disso, no social commerce as atividades online dos consumidores (comentários, curtidas, compartilhamentos) podem ser exploradas para analisar o desempenho da marca, possibilitando traçar parâmetros sobre o posicionamento da empresa e buscar melhorias em setores como atendimento, estoque, entrega e ajustar a apresentação das mercadorias.

Social commerce na prática

Agora que você já sabe o que é social commerce, saiba que para aderir a essa atividade, as empresas precisam “entrar no clima” e adicionar características típicas das mídias sociais em sua filosofia, afinal, a linguagem da internet tende a ser leve, direta e descomplicada, ou seja, não adianta publicar longos textos e peças gráficas com muita informação. Pense que o usuário recebe um turbilhão de conteúdo tanto de seus amigos quanto das páginas que segue. São diversas fotos, vídeos, links e mensagens publicadas o dia inteiro. Se o seu conteúdo for “poluído”, passará em branco.

E para as interações ocorrerem, é preciso disponibilizar as opções que permitem ao internauta entrar em contato com sua empresa, como classificação, comentários e mensagens. Assim, além de dividir com os amigos a experiência que teve com sua marca, ele pode tirar dúvidas, reclamar e dar sugestões (essa é a essência do social commerce, se inserir nas mídias sociais e “conversar” com os usuários).

social-commerce-exige-interacao

“Interação” é a palavra-chave

No social commerce, a interação dos comerciantes com os consumidores deve ser amigável, como se estivessem conversando pessoalmente, assim fica mais fácil construir um laço de confiança e aprofundar o relacionamento com o cliente. Quando bem administrada, essa relação aumenta a probabilidade de sua loja receber avaliações positivas e influenciar os clientes a seu favor.

Mas não esqueça de que existem os dois lados da moeda: relações mal geridas podem causar resultados bastante negativos e comprometer a imagem da empresa. Por isso, a dica é aderir aos serviços de um aplicativo de loja virtual como o Facíleme Social Commerce, parceiro do Bling, que além de ser simples e com rápida instalação, oferece as modalidades de loja na web e loja no Facebook, entre outras vantagens.

Integração de tecnologias

O social commerce no Brasil ainda está em evolução, inclusive com ferramentas para auxiliar os lojistas a explorarem esse mercado. O Facíleme Social Commerce, por exemplo, é uma empresa que desenvolve aplicativos versão mobile, Helpdesk e compartilhamentos no Whatsapp para melhor atender seus clientes. O aplicativo para Facebook, um de seus destaques, funciona de forma que quando o produto é anunciado no site, os consumidores não precisam deixar a rede social para fazer a compra.

A empresa também tem serviços para SEO, Widget, layouts personalizados, formulários, sistema de sorteio, gráficos, relatórios de resultados e integração com Pagseguro, que dá mais segurança às vendas pela internet.

bling-ajuda-a-impulsionar-o-social-commerce

E para impulsionar ainda mais suas ações no social commerce, aposte em um bom sistema de gestão online (ERP). O Bling, por exemplo, está sempre em busca de parceiros e integrações para oferecer soluções ao lojista virtual. Além do Facíleme Social Commerce, o ERP está integrado aos maiores marketplaces do Brasil, ao Sigep Web dos Correios e a empresas de logística.

Sem contar que o Bling possui as ferramentas necessárias para automatizar diversos processos, como recebimento de pedido; verificação de pagamentos; emissão de notas fiscais eletrônicas, boletos bancários e etiquetas; expedição de encomendas e acompanhamento dos pedidos. Versátil, o software está sempre atualizado sobre questões tributárias, a exemplo das mudanças na cobrança do ICMS para operações interestaduais. Tudo isso com planos a partir de R$ 50.

Parceria

Para dar mais uma forcinha aos empresários que desejam se inserir no comércio das redes sociais, o Bling e o Facíleme Social Commerce firmaram uma parceria que dá condições especiais aos lojistas que precisam de um ERP. Quem já é cliente Facíleme pode usar o cupom #facileme para ganhar 3 primeiros meses de ERP grátis no Bling.

Leia também:
– Funil de vendas: o que é e como utilizar
– Quais impostos pago no e-commerce?
– ERP: vantagem para empresários e contadores

Posts Relacionados

Deixe um comentário