Empreender no meio virtual envolve uma série de desafios, a começar pelo investimento para iniciar montar um e-commerce. Mas existem formas de montar seu negócio com menos investimento, e isso significa: montar uma loja virtual sem estoque.

No e-commerce as operações são consideradas muito mais baratas pois exige menor investimento no layout do espaço físico, por exemplo, porém uma grande fatia da operação acaba em forma de estoque: mercadoria disponível para a venda.

Porém o que muitos empreendedores do meio virtual não sabem é que é possível montar uma loja virtual sem estoque e existem formas diferentes de fazer isso.

E-commerce sem estoque: como funciona

É fundamental lembrar que a primeira etapa para montar um e-commerce é definir qual seu nicho de mercado, quais itens deseja vender e qual público busca atrair. E isso é mais importante ainda quando se pensa em criar um e-commerce sem estoque, já que não são todas as áreas que funcionam nesta modalidade de trabalho virtual.

Para saber quais produtos funcionam ou não no e-commerce sem estoque vale lembrar que produtos muito caros, ou muito elaborados podem acabar resultando em atrasos na entrega e dando ao consumidor uma experiência negativa de compra na sua loja. Ou seja, uma loja virtual sem estoque funciona melhor com produtos de logística mais simples, produtos de fabricação e reposição rápidas.

Formatos de e-commerce sem estoque

Just in time

Essa é uma lógica de vendas onde tudo deve ser comprado somente quando necessário, e a sua loja passa a trabalhar com o estoque do fornecedor. No momento em que a venda for efetuada, você busca o fornecedor para enviar o produto para o cliente. Para que esse sistema funcione, é importante manter um ótimo relacionamento com seus fornecedores, para ninguém te deixar na mão no momento em que precisar.

Essa lógica de venda é interessante para quem está começando, testando seu mercado e seu público. O processo faz com que o empreendedor economize em capital de giro para manter o estoque, e invista em outros setores que estão iniciando. Porém, precisa ter fornecedores próximos, para poder a cada venda se deslocar até o fornecedor e retirar o produto a ser entregue.

Dropshipping

Muito similar ao Just in time, o empreendedor utiliza a estrutura de estoque do fornecedor, porém com a diferença de ficar com o fornecedor a tarefa de preparação e envio dos produtos. Isso facilita muito no caso de um fornecedor de outra cidade, estado ou até de outro país. Os produtos do fornecedor são anunciados na sua loja, que recebe os pedidos de compra e a loja solicita a entrega do produto diretamente ao cliente.

Essa lógica de venda parece simples ao ser explicada, mas pode causar problemas até construir uma rede de fornecedores da sua confiança. Também pode acabar causando problemas na comunicação entre a loja e o fornecedor, deixando incerteza sobre os produtos disponíveis no estoque. Esse ponto é crucial: se a opção for esta, é preciso fazer a operação funcionar sem causar atrasos na entrega ou erros que prejudiquem o seu cliente. Nunca esqueça que a experiência do consumidor é fundamental para manter a boa reputação do seu negócio e-commerce.

Prazos negociáveis

Outra alternativa é retirar uma quantidade maior de produtos com o fornecedor e negociar o prazo de pagamento, pra dar tempo de receber os valores das vendas. É um formato inteligente, mas que exige organização da loja e a confiança do fornecedor. Isso também é conhecido como trabalhar com o dinheiro do terceiro, no caso, o fornecedor.

Essa estratégia dá fôlego para a loja vender os produtos e pagar o fornecedor dali a 30 ou 40 dias.

Vale a pena montar uma loja virtual sem estoque?

Quando falamos em loja virtual sem estoque, é sempre válido lembrar que pode ser uma solução a curto ou médio prazo. Para quem está começando é uma forma de impulsionar o negócio, porém se torna processual e incerto se estender demais o período determinado.

O ideal é, assim que possível, ir montando um estoque próprio, criando um círculo de desenvolvimento para a empresa. O estoque terceirizado é uma fórmula interessante se pensado como um projeto provisório, mas quando a loja passa a contar com o próprio estoque, os gastos com deslocamentos diminuem, gerando entregas mais rápidas.

A dica é apostar em estoque de produtos que vendem com mais frequência e controlar a entrada e a saída de produtos através de um sistema de gestão como o Bling, que além de gerir o estoque também emite notas fiscais, integra sua loja aos maiores marketplaces do mercado, auxilia nas operações diária, entre muitas outras funções.

Se ainda não é cliente Bling, faça um teste grátis por 30 dias e confira na prática os benefícios de utilizar um sistema de gestão descomplicado e eficiente.