Oferecer formas de pagamento compatíveis com as expectativas dos seus clientes é uma ferramenta importante de fidelização e satisfação do consumidor.


Entenda os meios de pagamentos que você pode oferecer na sua atividade empresarial e entenda a vantagem de cada uma delas para o seu negócio e para os seus clientes.


Principais formas de pagamento e seus benefícios


Como em todas as decisões estratégicas de uma empresa, é preciso saber equilibrar as vantagens percebidas na prestação de serviços ou no fornecimento de produtos com as expectativas e os benefícios oferecidos aos clientes.


Assim, para ter um bom controle fiscal e uma saúde financeira, é bom ficar atento às práticas de mercado e às atividades da concorrência, para entender as melhores oportunidades para se destacar.


Compare os meios de pagamento que você pode oferecer e descubra já os pontos principais de cada um deles. Mas, desde já, precisamos ressaltar a importância do entendimento de que um pagamento facilitado para o consumidor tem influência direta nas decisões de compra.


É bom lembrar que, independentemente da forma de pagamento, é obrigatória a emissão de notas fiscais. Se você é empreendedor e tem dúvidas sobre o tema, confira nossas dicas sobre os tipos de notas fiscais e entenda o funcionamento do sistema de emissão de notas.


1. Dinheiro


Cada vez menos comum, o pagamento em dinheiro, tanto para o consumidor, quanto para o empreendedor, acaba por ser um risco. Com a facilidade de subtração, manter dinheiro em caixa, em muitas regiões, pode ser perigoso, assim como para os consumidores que circulam portando valores.


Mesmo assim, o pagamento em dinheiro, especialmente para pequenos valores, segue sendo uma forma simples e consciente de compra.


Sem a incidência de taxas de banco sobre contas ou cartões, o pagamento em dinheiro ainda parece, para muitos, a melhor forma de pagamento.


Nesse sentido, também é comum que os empreendedores ofereçam descontos aos clientes que fizerem esse tipo de pagamento, chamando comumente de “pagamento à vista”. Na verdade, essa é apenas uma das formas de fazer um pagamento à vista, mas, por conta da falta de incidência de taxas, é a que mais possibilita negociação entre consumidor e lojistas, por exemplo.


2. Cheque


Com a antiga e conhecida prática do “cheque pré-datado”, muitas pessoas se enganam sobre a natureza do pagamento com cheque.


Embora pareça e muitos estabelecimentos aceitem a ideia de combinar um depósito em data posterior, na verdade, o cheque é um título executivo e pode, desde o momento em que for emitido, ser cobrado, sendo forma de pagamento à vista.


Para o empreendedor, o pagamento com cheque pode ser um grande risco. Essa modalidade de pagamento depende da confiança que o empresário possui em seu cliente, pois um eventual retorno do cheque pode causar dores de cabeça e até mesmo movimentações com apoio jurídico, o que gera ainda mais prejuízo.


Ainda assim, dependendo do tipo de atividade empresarial, especialmente no caso das empresas que oferecem a possibilidade de pagamento em prestações, é comum a prática de aceitar cheque como forma de pagamento.


3. Cartão de débito


O cartão de débito é uma das formas de pagamento mais seguras da atualidade. Tanto por permitir que consumidor e lojista se abonem da responsabilidade de circular portando dinheiro em espécie, sabendo ser comum os casos de assalto, quanto por ser uma forma de pagamento à vista.


Assim, o cartão de débito permite a transação atual e real de um valor depositado em conta bancária. Por isso, com retorno rápido para o empreendedor, esse tipo de pagamento é muito atrativo e até mesmo estimulado pelos lojistas.


É necessário que os estabelecimentos possuam uma maquininha de cartão, que pode possuir mensalidade ou valor de aquisição. Normalmente, como também se utiliza para cartões de crédito, não é preciso fazer nenhum gasto adicional para utilizar a forma de pagamento com cartão de débito.


4. Boleto bancário


Principalmente para e-commerce, o boleto bancário é uma forma de angariar os consumidores que ainda não utilizam ou preferem não utilizar o cartão de crédito ou o cartão de débito.


Forma segura de receber o pagamento — e também de efetuar –, o boleto bancário é quase indispensável para as lojas online.


Muitos lojistas, inclusive, oferecem descontos para quem optar pela opção de pagamento no boleto bancário.


Como o boleto, quando constituído, indica uma data de vencimento para pagamento, a longo prazo, para um empreendedor, pode ser que seja um meio de pagamento que proporciona mais dores de cabeça, porque, ao contrário do parcelamento no cartão de crédito, que já possui uma vinculação, o boleto bancário depende da atitude mensal do consumidor em efetuar o pagamento.


Assim, esse tipo de pagamento, por segurança, é mais indicado e oportuno para o pagamento à vista e sem parcelamentos. Como a compra com pagamento em boleto bancário também fica sujeita ao pagamento para ser finalizada, muitas vezes, pode bagunçar o controle de saída de produtos e a entrada de ativos, sendo um ponto negativo para o empreendedor.


5. Cartão de crédito


Segundo pesquisa da ABECS (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Créditos e Serviços), no primeiro trimestre de 2019, somente com cartões de crédito, foi registrada a movimentação de 2,5 bilhões de transações no país.


Os indicativos demonstram que esse número aumentou nos últimos anos, e a expectativa é que continue a aumentar, já que cada vez mais fatias da população aderem aos cartões de crédito.


O cartão de crédito beneficia o cliente que deseja fazer suas compras, normalmente de valores mais elevados, e não possui o dinheiro ainda. Nesse caso, um parcelamento permite que a compra seja feita na hora.


Nesse caso, ocorre que não há vantagem só para o consumidor. O cartão de crédito é a forma mais segura para o empreendedor receber o pagamento de forma parcelada pelos serviços prestados ou produtos fornecidos.


O motivo é muito simples: a partir do momento em que o consumidor explora um crédito em seu cartão, o parcelamento não fica mais vinculado ao lojista, como se dá com o boleto bancário.


No caso de um inadimplemento de parcela de pagamento realizado pelo cartão de crédito, o banco é o responsável pela dívida. Assim, o empreendedor fica livre desses trâmites burocráticos e cobranças, e sabe que receberá, com determinadas condições, o valor acertado em parcela com o consumidor.


Essa é uma grande vantagem do pagamento com cartão de crédito e faz com que o empreendedor venha a proporcionar ao seu cliente uma forma facilitada de pagamento e que, ao mesmo tempo, não é prejudicial à saúde financeira de sua empresa, reduzindo os imprevistos.


Um ponto a se pensar é a demora no retorno do valor obtido com pagamentos no cartão de crédito: normalmente, as empresas de cartão demoram até 30 dias para repassar esse valor, o que, para o micro e pequeno empresário, pode ser decisivo para o fechamento das contas.


Entre as operadoras de cartão, há que se considerar que algumas cobram um valor específico pela máquina de cartão de crédito e outras têm taxa de inscrição física ou uma mensalidade específica pelo uso da máquina.


Além disso, essas operadoras fazem seus lucros com porcentagens sobre cada transação. Nos parcelamentos de crédito, a porcentagem costuma ser maior, e varia entre 3% e 6%. Por isso, é preciso colocar na ponta do lápis e averiguar qual operadora melhor atende aos seus negócios e ao perfil do seu público consumidor.


Formas de pagamento: escolha a melhor para o seu negócio!


Conhecer o seu consumidor é fundamental para determinar as formas de pagamento que irá disponibilizar em contrapartida à sua prestação de serviços ou fornecimento de produtos.


Por isso, a dica é fazer uma boa análise das formas de pagamento quanto à responsabilidade diante de um inadimplemento e dificuldades ou prazos para receber, efetivamente, o pagamento.


Esses são fatores determinantes para manter a saúde financeira do seu empreendimento e, ao mesmo tempo, garantir um bom atendimento ao seu consumidor, com condições facilitadas de pagamento que ajudem na hora de fechar uma compra.


Referência: Dados – 1º Trimestre 2019 – ABECS: https://www.abecs.org.br/app/webroot/files/media/3/6/d/a7a281667eeccbae5e63ed559b62e.pdf

No canal do Bling no Youtube, publicamos atualizações sobre o universo de Negócio e Vendas, além de dicas para você gerenciar seu empreendimento!