B2B e B2C

Se você adentrou há pouco tempo no mundo do empreendedorismo, especialmente o comércio virtual e o ambiente  das startups, deve estar se deparando com as siglas B2B e B2C em textos por aí, certo?

Essas siglas são formas de identificar um tipo de negócio a partir da sua atividade fim, ou seja, do seu cliente. Veja abaixo os conceitos e significados de cada sigla, além de exemplos de negócios de cada categoria. Entenda também como se dá o processo de compra em cada categoria e por que é tão importante saber disso!

Business to Business (B2B)

A sigla B2B nada mais é do que uma abreviação criativa para a expressão “Business to Business”, ou seja, “de empresa para empresa”. Trata-se de um negócio que oferece serviços e produtos para outras empresas, independentemente de qual for seu nicho. É importante saber que essas siglas se referem a modalidades de negócios que acontecem em rede, seja na internet ou em uma rede privada.

O Bling, por exemplo, está enquadrado nesta modalidade. Isso porque oferecemos como produto um software para gestão empresarial (ERP), e nossos clientes são outras empresas, neste caso, outro e-commerce.  Uma empresa que venda serviços como Plataformas para envio e gerenciamento de E-mail Marketing ou mesmo aquelas que fornecem produtos para revendedores, como os atacadistas online, também podem ser consideradas B2B.

Business to Consumer (B2C)

Seguindo a mesma lógica do Business to Business, a sigla B2B significa “Business to Consumer”, ou seja, “da empresa para o consumidor”. Ao contrário da categoria anterior, o B2C se refere àquelas empresas que fornecem produtos ou serviços diretamente para o consumidor final. Grandes e pequenas varejistas, como o Submarino, Americanas, e até mesmo aquelas que oferecem serviços para pessoa física, como a Bidu, por exemplo, um e-commerce que oferece serviços financeiros e seguros.

Processos de compra em B2B e B2C

Por serem modalidades diferentes, os processos de compra que envolvem o B2B e o B2C também são distintos. Quando uma empresa adquire um produto ou serviço, no caso do B2B, ela geralmente submete a escolha a uma análise profunda, debatida entre seus gestores e líderes. Não se compra um ERP, por exemplo, sem pesquisar a respeito, sem dialogar com o fornecedor e sem testar o que está comprando. O que é bem diferente, por exemplo, do processo de compra de uma camiseta, ou celular pela internet, por exemplo. Uma pessoa quando adquire um bem de uso pessoal é movida por uma série de fatores internos, inclusive pelo impulso. Uma boa promoção, muitas vezes, é suficiente para convencer um cliente a adquirir algo.

Mas, por que saber isso é tão importante para o meu negócio, afinal?

Um dos motivos mais importantes é: a categoria do seu negócio define as bases da sua estratégia de marketing.

O B2C geralmente trabalha com uma demanda pré-existente. Quando você procura na internet um produto que está querendo comprar, o que aparece são links patrocinados que te levam exatamente para o e-commerce que tem aquele produto, certo?

É claro que existem casos onde outros fatores constroem a demanda, mas estes não são os mais comuns. No B2C, um plano de marketing engajado, que divulgue promoções, que utilize humor, que seja capaz de tocar o emocional do público e esteja presente de forma criativa nas redes sociais é o ideal.

No B2B as coisas são um pouco diferentes. Pense que para atingir um público empresarial você precisa de um negócio muito bem elaborado, capaz de atender as necessidades das empresas alvo. Neste caso, o desafio é maior já que o foco do marketing está na criação da demanda e sim, o público é menor.

Como fazer isso? Oferecendo conteúdo, sendo um formador de opinião, uma referência na sua categoria. Já reparou que boas empresas B2B geralmente têm uma ação mais voltada para o provimento de conteúdo do que de promoções nas redes sociais?

Elas geralmente investem em blogs e suas newsletters costumam ser diferentes, mostrando vantagens práticas do seu serviço e métodos de utilização. Outro foco é a construção de uma imagem digna de credibilidade e confiança pelos clientes. Uma equipe preparada para negociar e explicar todos os benefícios do serviço faz parte dessa estratégia.

Ficou alguma dúvida sobre as diferenças entre B2B e B2C? Comente! Quem sabe sua dúvida não é tema do nosso próximo post?