Mesmo com tantas formas de pagamento disponíveis, o tradicional boleto bancário continua sendo uma forma de pagamento vantajosa para empresários e consumidores. 

Dentro das transações de cobrança, o boleto bancário aparece como uma das formas de pagamento mais utilizadas pelos brasileiros. 

Segundo estudo feito pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) o boleto bancário perde somente para a utilização de cartão de crédito e anualmente são emitidos mais de 3,5 milhões de boletos bancários.  

O boleto bancário ainda oferece inúmeras vantagens, tanto para a empresa, quanto para o consumidor. Isso porque a forma de pagamento pode ser aplicada em diferentes situações e reduz os custos operacionais do comércio. Mas é preciso conhecer bem seus tipos, campos e saber como emiti-los.  

Confira mais informações sobre esse tipo de recebimento e seus benefícios para empresas: 

ÍNDICE:

O que é boleto bancário?

Boleto bancário é o método de pagamento que simplifica e facilita os processos de compra e venda realizados entre empresas e consumidores. Por mais tradicional que seja, esse documento de transações ainda é um dos mais utilizados no Brasil. 

Ele pode ser pago em qualquer agência bancária, caixa eletrônico ou estabelecimento conveniado (lotéricas, Correios, etc.) até uma data preestabelecida. 

Além disso, com a popularização da internet, o boleto ganhou ainda mais força. Atualmente, com aplicativos de bancos na palma da mão, o consumidor consegue quitá-lo em alguns cliques. 

Ainda vale ressaltar que alguns boletos também aceitam o pagamento após a data de vencimento. Nesses casos, o valor total geralmente é acrescido de multa ou juros. 

Como funciona o pagamento em boleto?

Ao realizar uma compra online e selecionar o pagamento em boleto, o comerciante logo irá enviar o documento junto à instituição emissora. A partir de então, como foi dito anteriormente, o consumidor terá um prazo final para quitá-lo.

Independentemente do canal escolhido, uma vez pago, o tempo de compensação do boleto varia de dois a quatro dias úteis. Afinal, o prazo depende do tempo que cada banco estipula para repassar o valor. 

Por fim, já com a confirmação do pagamento, o vendedor consegue dar procedimento à entrega do produto ou serviço.

Vale ressaltar que, caso o boleto esteja vencido, o consumidor deverá fazer uma nova compra ou pagá-lo com a devida multa – isso acontece geralmente na contratação de serviços em que o pagamento é recorrente.

Quais são os tipos de boletos?

Existem dois formatos de boletos bancários: o registrado e o não registrado. As diferenças entre ambos, por sua vez, se resumem ao controle que órgãos emissores têm sobre o documento emitido. 

O primeiro, como o próprio nome diz, é registrado por um banco. Assim, diferentemente do boleto sem registro, ele contribui para a conformidade legal e redução no número de fraudes fiscais. 

Até por isso, há pouco tempo, o boleto registrado passou a ser o único permitido por lei. 

Como consequência, aqueles que emitem o documento sem registro para reduzir taxas e burocracias, hoje, não o fazem mais. 

Apesar disso, com essa medida, todos ganharam a segurança e credibilidade de grandes instituições financeiras.

Abaixo está explicado detalhadamente cada um deles. 

Boleto registrado

O boleto registrado é aquele que possui registro em instituições financeiras. Nesse formato, o banco recebe a remessa da empresa e faz o registro de todas as informações contidas no documento: código de barras, valor, vencimento, CPF e outros dados.

Para emitir esse tipo de boleto bancário, é preciso que a empresa se registre em uma instituição financeira. Assim, as informações ficam armazenadas em um lugar só, permitindo maior controle sobre o andamento da operação. Além disso, o modelo registrado diminui a inadimplência, porque o banco pode enviar o cliente para os órgãos de proteção ao crédito.

O boleto registrado passou a ser o modelo padrão porque é mais completo e permite um controle mais eficiente das transações comerciais. Já o boleto sem registro, apesar de simples, pode resultar em muitas fraudes.

Boleto sem registro

Boleto sem registro é aquele que não tem relação com um banco emissor. Desde 2017 ele foi banido. A mudança trouxe mais comodidade para os clientes e maior segurança para os emissores. Isso porque a modalidade centraliza os processos de cobrança, garantindo mais agilidade em relação ao pagamento dos débitos e diminuição no número de fraudes.

Benefícios dos boletos bancários

Uma vez compreendidas as diferenças entre boleto bancário registrado e sem registro, o empreendedor já pode conferir os benefícios que esse modelo de cobrança oferece para suas empresas.

  • Facilidade para a emissão.
  • Economia de tempo.
  • Diminuição da inadimplência.
  • Melhor controle financeiro.
  • Acessível para todos os clientes.
  • Sensação de segurança para os clientes.

Campos do boleto

É fundamental entender os campos do boleto bancário e o que cada um representa. Cada campo possui sua importância para o processo de emissão de boleto.

Sacado

Nome e CPF (ou CNPJ, se for pessoa jurídica) da pessoa que irá pagar o boleto.

Código do Cedente

Número da conta bancária da empresa emissora do boleto.

Valor do Boleto

Valor final a ser pago pelo consumidor. O número deve contar duas casas decimais e utilizar vírgulas para separar os centavos. 

Vencimento

Prazo final para que o boleto seja quitado sem o acréscimo de multas ou juros.

Multa e Juros de Mora

Instruções ao consumidor sobre juros e multas que serão cobrados em caso de vencimento do boleto bancário. 

Nosso Número

Campo de identificação do boleto gerado pelo órgão emissor, utilizado para controle legal, tanto por parte da empresa, quanto do consumidor. 

Linha Digitável

Descrição em números do código de barras. O consumidor ainda confirma se a linha digitável está em conformidade, visto que seus primeiros números devem ser representados pelo número do banco emissor, enquanto os últimos correspondem ao valor a ser pago.

Código de Barras

Ferramenta utilizada para automação de pagamentos, através do leitor óptico. A espessura das linhas de um código de barras serve para representar números de 0 a 9.

Como emitir boleto?

Emitir boletos bancários é simples: basta apenas habilitar uma conta-corrente para que ela receba pagamentos por meio desse formato. Aqueles que não possuem permissão para emitir esses documentos devem entrar em contato com o gerente de contas da instituição financeira em questão. 

Uma vez solicitado, o cliente do banco poderá gerar boletos preenchendo apenas alguns dados básicos, como data de vencimento, valor, multas, juros e dados do pagador. 

Intermediadores para cobrança de boleto

Uma forma fácil e descomplicada é utilizar intermediadores como os sistemas de gestão para emitir boletos. O Bling!, por exemplo, possui integração CNAB, o que permite emitir boletos de diferentes bancos. 

Utilizar sistemas de gestão integrada facilita ainda mais a emissão e o controle de boletos bancários. Além disso, o empreendedor, com mais controle sobre o status do pagamento dos boletos, torna sua gestão financeira mais eficiente, conseguindo atualizar os recebíveis em tempo real dentro do fluxo de caixa. 

Sistemas para emitir boleto

Através do sistema de gestão integrado com Bling Conta integrada é possível emitir boletos, pagar contas e fazer transferências de forma fácil e rápida podendo:

  • Gerar boletos do Bling com cobrança de juros em caso de atraso.
  • Receber valores pagos direto na sua conta digital.
  • Transferir valores facilmente para sua conta bancária por meio de TED.
  • Efetuar transferências TED para terceiros.
  • Efetuar pagamentos de boletos, contas e tributos (contanto que tenham código de barras).

Com o sistema de gestão integrado com conta digital o empreendedor não precisa ficar por conta das rigorosas normas de grandes bancos. Criada em poucos cliques, a conta digital é integrada com todo o sistema de gestão financeira, fiscal e logística do ERP. 

Conheça mais sobre a Bling Conta neste Webinar com Gabriel Aguiar, Product Manager e Coordenador de Marketing Guilherme Minuzzi.