Lançado oficialmente em novembro de 2020, o Pix surgiu como uma nova forma de realizar pagamentos e operações bancárias.

Segundo o Banco Central, três meses após o lançamento, o Pix já acumulava 200 milhões de transações mensais – e a expectativa é que esse número aumente.

Mesmo com a popularização desse novo modelo de pagamento, para empreendedores ainda fica a dúvida: afinal, o que é Pix? E como ele pode ser usado no meu negócio? É o que vamos explicar neste post!

O que é o pagamento Pix?

O Pix é um meio de pagamento que facilita e torna mais ágil a transferência de valores, o pagamento de contas e também o recolhimento de impostos. 

Até o lançamento do Pix, as formas mais conhecidas para realização de transferências de valores eram as TEDs e DOCs, além de boletos, pagamentos em dinheiro ou cartões.

Essas operações, claro, continuam funcionando. Mas elas não são instantâneas como o Pix – algumas levam dias para cair na conta de destino. Além disso, podem custar caro, já que normalmente há uma cobrança de taxa em cima desses serviços.

O que são as chaves do Pix?

As chaves do Pix são os “apelidos” usados para identificar uma conta. Ou seja, elas são a representação do endereço da sua conta dentro do sistema do Pix.

O papel das chaves do Pix é vincular esses dados considerados básicos às informações completas que conseguem identificar a conta transacional do cliente (como a instituição financeira ou de pagamento, o número da agência, o número da conta e o tipo de conta).

As chaves do Pix são divididas em quatro tipos:

  • CPF ou CNPJ;
  • e-mail;
  • número de telefone celular;
  • chave aleatória.

Quem tem conta pessoa física pode ter cinco chaves para cada conta. Já os clientes que têm conta no modelo pessoa jurídica podem ter até 20 chaves para cada titularidade.

O cliente pode usar chaves distintas para vincular as diferentes contas transacionais. Por exemplo, usar o número de telefone celular vinculado à conta corrente da instituição X, usar o CPF vinculado à conta poupança da instituição Y e usar o e-mail vinculado à conta de pagamento da instituição Z.

Outra opção é vincular todas as suas chaves do Pix (CPF, número de celular e e-mail) a uma mesma conta. Dessa forma, quando o pagador iniciar o pagamento a partir de qualquer uma dessas informações, os recursos serão disponibilizados nessa mesma conta.

O que significa Pix Banco Central?

Também chamado de Pix Banco Central por que foi criado pelo Banco Central.

Como aderir ao pix?

Para fazer um PIX basta criar uma chave a partir da sua instituição financeira. É simples e após criado já pode fazer suas transações instantâneas.

Como funciona o pix?

O Pix funciona a partir dos aplicativos de celular dos bancos e instituições financeiras. A partir dele é possível realizar transferências ou receber os pagamentos. Na hora de finalizar a transação, basta escolher a chave Pix e colocar o valor.

Quem criou o Pix?

O Pix foi criado pelo Banco Central. A proposta é oferecer um meio de pagamento disponível 24 horas, sete dias por semana, veloz, com liquidação ou transferências concluídas em 10 segundos e conveniente, com a experiência focada no usuário.

O Banco Central garante a segurança de todas as operações, seja transferência, pagamento de qualquer tipo e valor entre pessoas e empresas.

O Pix não exige download de nenhum aplicativo ou programa específico. As próprias instituições financeiras  disponibilizam os serviços em suas plataformas, facilitando o acesso aos usuários.

Como os pagamentos são feitos com o Pix?

Os pagamentos no Pix são feitos informando a chave do Pix que foi cadastrada na instituição bancária usada pela pessoa ou empresa.

Para fazer uma transferência para um fornecedor, por exemplo, basta informar a chave Pix que ele cadastrou. Em poucos segundos, o pagamento estará disponível na conta.

Um detalhe importante é que para fazer um pagamento por Pix é necessário ter uma chave cadastrada. Já para quem quer apenas receber quantias não é preciso fazer o cadastro de uma chave.

Como cancelar um pix?

As transações de Pix são bastante rápidas, por isso, é preciso conferir muito bem os dados da pessoa ou empresa antes de realizar uma operação. Mas em caso de erro, não é possível desfazer o processo através do seu aplicativo, terá que contatar o recebedor e negociar a devolução do valor. 

Dentro do pagador é possível com alguns cliques fazer a devolução do Pix de maneira bastante simples. 

Como receber pelo pix?

Para receber um pagamento pelo Pix, basta gerar um QR Code no aplicativo em que você possui conta e copiar o código Pix. Depois é só compartilhar o código com quem vai te pagar. Esse processo pode ser feito via e-mail ou WhatsApp, e é bastante utilizado no comércio.

Como pagar boleto pelo pix?

O boleto também pode ser pago diretamente com a leitura do QR code através do aplicativo.

O pix é seguro?

O Pix é seguro pois somente PSPs autorizados pelo Banco Central podem se conectar ao Sistema de Pagamento Instantâneo, por meio de uma rede exclusiva e restrita, a Rede do Sistema Financeiro Nacional — RSFN.

Desse modo, cabe às instituições financeiras e de pagamento se responsabilizar pela segurança dos clientes. O Pix blinda as transações com procedimentos como marcadores de fraude e transações rastreáveis. 

Qual o valor mínimo para fazer pix?

Não existe um valor mínimo para fazer Pix. Pode ser feito Pix de centavos se for necessário.

Qual o valor máximo para fazer pix?

O Pix começou sem limite máximo de transferência, porém, há alguns meses ficou estabelecido um limite de R$1000 no período da noite, das 20h às 6h. 

E durante o dia o limite varia conforme o banco e o cliente, por exemplo, se o seu banco permite que você faça transferências de até R$ 1 mil via TED, você também terá esse mesmo limite de transferência por meio do Pix.

Posso incluir o pix como forma de pagamento do meu estabelecimento?

Pode e deve! Esse novo modelo de pagamento e recebimento de valores veio para facilitar a vida financeira do empreendedor.

O pagamento instantâneo do Pix permite um recebimento mais rápido e mantém o giro de caixa ativo, mesmo durante fins de semana e feriados.

Para quem é MEI (Microempreendedor Individual) e autônomo, que normalmente precisa cuidar sozinho do próprio negócio, a vantagem é poder organizar todas as questões financeiras fora do horário convencional das instituições bancárias.

Outra grande mudança positiva será a queda no custo de tarifas bancárias, principalmente nas TEDs e DOCs. Para pessoas jurídicas, as taxas podem variar de acordo com a instituição, mas certamente são mais competitivas do que as praticadas anteriormente.

Apoiado na tecnologia e pensado para um mundo cada vez mais imediato, o Pix é uma solução segura e de baixo custo para o empreendedor. Além de melhorar a organização financeira da empresa, traz facilidade e velocidade para o dia a dia de uma empresa.