Você tem um comércio online e lida frequentemente com dificuldades para controle e manutenção de estoque, bem como na distribuição logística de suas mercadorias?

Está na hora de conhecer um pouco mais sobre duas estratégias que podem te ajudar: dropshipping e cross docking. O Bling vai te mostrar tudo que você precisa saber para identificar se uma das duas pode ajudar em suas rotinas administrativas.

Dropshipping — o que é?

O dropshipping pode ser definido como uma forma de criar parcerias com fornecedores a fim de catalogar seus produtos em sua loja virtual. Dessa forma, poupa a necessidade de ter um estoque próprio, sendo uma operação logística otimizada.

A maior parte das empresas que adotam ao dropshipping são de pequeno a grande porte, especialmente quando o departamento de logística exige  uma operação mais complexa e de custos altos de acordo com o segmento da empresa (como armazenagem, fretes, etc).

O resultado em concentrar todo o estoque nas transações do próprio fornecedor é uma eficiência muito maior em cada etapa do procedimento.

Como é o processo de dropshipping?

Cada empresa define a melhor forma de negociação e logística com seu fornecedor. No entanto, o passo a passo básico do processo de dropshipping funciona da seguinte maneira:

– O cliente faz sua compra com a empresa e, após a confirmação do pagamento, o pedido é liberado para despache.

– Depois da validação, a empresa entra em contato com seu fornecedor e informa a compra que foi realizada, repassando os dados do cliente para que o processo de entrega tenha início.

– Então, o fornecedor faz toda a separação, embalagem e envio das mercadorias para o seu cliente.

Um processo bem simples, certo? Lembre-se, no entanto, que é fundamental contar com um prestador de serviços que seja de sua confiança e que você saiba que não te deixará na mão.

Afinal, isso reflete diretamente na satisfação de seu cliente e nós não queremos que nada dê errado neste aspecto.

Cross docking — o que é

O cross docking, por sua vez, é uma operação logística de distribuição de mercadorias que dispensa o armazenamento intermediário.

Esse “armazenamento intermediário” diz respeito ao estoque propriamente dito como conhecemos. Sua empresa adquire os produtos e faz o giro de acordo com as demandas de vendas.

Ao optar pelo cross docking, as mercadorias só chegam até você mediante a venda concretizada e com destino final — o cliente. Ou seja, ao invés de ter os produtos para fazer a movimentação das vendas, eles só chegam até você quando estiverem prontamente direcionados.

Como é o processo de cross docking?

Assim como no dropshipping, o cross docking varia de acordo com a empresa. Em um aspecto mais geral, podemos dizer que ele funciona da seguinte forma:

– O cliente faz sua compra com a empresa. Essa, por sua vez, repassa o pedido para o fornecedor. Normalmente as empresas têm um sistema integrado que facilita esse processo e resulta em maior agilidade assim que o pedido é confirmado.

– Mediante a confirmação do pagamento, os produtos são enviados pelo fornecedor diretamente para o centro de distribuição da empresa.

– Por fim, a otimização de todo o processo de envio restante fica por conta da empresa, que pode segmentar as atividades visando a economia de tempo e maior eficiência nos procedimentos.

Ainda que o cross docking também seja um processo facilitador, é preciso tomar algumas providências para que não hajam falhas no decorrer do processo de toda a cadeia: o fornecedor, sua empresa, o operador logístico e, por fim, seu cliente.

Quais as principais diferenças entre dropshipping e cross docking?

Como é possível observar, dropshipping e cross docking têm suas vantagens e desvantagens no processo de controle de estoque e distribuição logística.
Para escolher a mais adequada para o seu tipo de negócio, nós destacamos as principais diferenças entre cada um deles. Vamos conferir?

  • Armazenamento: no dropshipping, não há armazenamento de mercadorias, enquanto no cross docking ele é nulo ou limitado, feito pelos centros de distribuição.

  • Distribuição: enquanto no cross docking a entrega é feita pelo centro de distribuição, no dropshipping a distribuição é realizada pelo próprio fornecedor.

  • Principais vantagens de cada um: no dropshipping e no cross docking não há custos com estoque, mas no segundo pode haver custos com pacote e armazenagem.

  • Principais desvantagens de cada um: utilizando o cross docking, pode haver uma dificuldade na sincronia entre os envolvidos no processo geral; no dropshipping, por sua vez, a lentidão pode vir no despacho do fornecedor.

Seja qual for sua escolha… O Bling pode te ajudar

Agora que você já conhece as principais diferenças, vantagens e desvantagens entre cross docking e dropshipping ficou muito mais fácil escolher, não é mesmo?

Independente de qual estratégia você adote para a sua empresa, o Bling pode te ajudar a otimizar seu controle de estoque e distribuição logística. Faça um teste grátis e veja como é fácil ser Bling.