Você já se perguntou por que ao chegar no final do mês você faturou mas não viu a cor do dinheiro na sua conta? Bom, se isso acontece frequentemente então é porque há um problema de capital de giro na sua empresa.

Nesse artigo, iremos falar sobre Capital de Giro: O que precisa saber, como calcular e boas práticas para administrá-lo melhor que seus concorrentes!

Capital de giro, o que preciso saber?

Boa parte das empresas no Brasil sofre por falta dele. Por trás disso há diversos motivos, porém a falta de capacitação financeira e saber exatamente quanto de capital de giro precisamos é o principal. Dúvida esta que resulta no fechamento de 3 em cada 4 empresas, de acordo com o Sebrae.

Capital de giro é a quantidade de recurso que você precisa para manter a empresa rodando. Um fundo de reserva para pagamento a fornecedor, reposição de estoque, pagamento de taxas diretas de venda como impostos, comissões.

Basicamente, o que você precisa saber é que é um indicador que direciona operações diárias da sua empresa.

E, assim como seu faturamento, ele flutua à medida que seu negócio aumenta ou diminui as vendas. Em certos negócios onde produtos acabam muitas vezes por tomar caixa da empresa, o aumento de volume de vendas, dá uma ilusão ao empresário de que não existe dinheiro – que o dinheiro todo sumiu.

O cálculo

O seu cálculo é simples. Os atributos principais que levamos em consideração na hora do cálculo do capital de giro são:

● Prazo médio de Pagamento ao Fornecedor;
● Dias médios de Estoque do Produto ou Giro de Estoque;
● Prazo médio de recebimento do Cliente;

Vamos ilustrar com uma situação hipotética usando a calculadora de capital de giro. Digamos que você venda um produto que custe para você R$ 28,00 e você o venda a R$50,00.

● Prazo médio de Pagamento ao Fornecedor = 5 dias;
● Dias médios de Estoque do Produto ou Giro de Estoque = 3 dias;
● Prazo médio de recebimento do Cliente = 15 dias;

Nesse caso seu capital de giro unitário é de -R$23,13 reais. O que isso significa? Toda vez que você vende uma unidade deste produto, deve provisionar R$23,13 no caixa da sua empresa para compor o capital de giro do negócio.

LEIA TAMBÉM: Gestão financeira: 6 fatores que desequilibram o fluxo de caixa

Domine seu capital de giro!

Com todas as variáveis que compõem o dia-dia do negócio, ter seu controle com precisão de centavos é uma tarefa difícil.

Há algumas práticas que podem ajudar a diminuir sua necessidade de giro ao mês. Vamos para algumas:

● Negociar prazo de fornecedor: quanto mais prazo para pagar seu fornecedor, melhor. Até mesmo 1 dia a mais de prazo de pagamento surte efeito
● Reduzir tempo de estoque médio: promoções, comprar menos produtos. A cada dia a menos no estoque, menor o capital de giro.
● Favoreça o recebimento à vista e/ou antecipar recebíveis: quanto antes o dinheiro cair na conta, menor o capital de giro.
● Utilize um sistema para apurar seu capital de giro corretamente: analise a necessidade automaticamente tanto unitariamente para seus produtos, quanto para seu negócio como todo de forma a evitar erros humanos, ganho em produtividade e assertividade;

Suponha, que no exemplo acima, você negocie um aumento do prazo de pagamento ao seu fornecedor de 5 dias, para 15 dias. Só de fazer esta mudança, você reduz o capital de giro para -R$13,08, um total de 43% de redução do capital de giro necessário deste produto.

O mesmo exercício pode ser aplicado redução de tempo de estoque e no tempo de recebimento, para que ele possa ser cada vez menor.

No Preço Certo, software de precificação e apuração de indicadores financeiros, você pode apurar o capital de giro de seus produtos e da empresa com muita facilidade. Totalmente integrado ao Bling.

Clientes Bling recebem 10% nas 3 primeiras mensalidades, ou 20% de desconto no plano anual de contratação do Preço Certo.

Posts Relacionados

Deixe um comentário