Qual o melhor canal de venda, a Loja Própria ou o Marketplace? 
Quase uma guerra, a discussão entre loja própria e marketplace complica a decisão de muitos empreendedores. Porém, uma batalha sem sentido, uma vez que é possível trabalhar bem os dois canais de venda, ajudando um ao outro.

Tanto o marketplace quanto a loja própria possuem suas vantagens e desvantagens. Não há uma maneira melhor ou pior de começar a vender online, mas sim maneiras boas de trabalhar diversos canais de venda, de forma a aumentar as vendas e não que compitam entre si. 

Assim, vamos falar sobre algumas das vantagens e desvantagens de cada canal e como trabalhar de forma eficiente em ambos: marketplace e loja própria. 

Marketplace – grande volume, baixa fidelidade

Os marketplaces são como grandes shoppings da internet. É um ambiente que sabemos do grande fluxo de consumidores, além da segurança provida pela plataforma, garantindo que as compras sejam realmente entregues. 

E por não precisar do trabalho de criar seu próprio ambiente, muitos lojistas começam suas vendas online por meio dos marketplaces. 

É uma boa estratégia para começar a girar o número de vendas, uma vez que não há os investimentos em marketing nem em segurança, além do fluxo já garantindo de consumidores. 

Contudo, os marketplaces são péssimas estratégias para quem quer fidelizar o consumidor. Afinal, são milhares de lojas e produtos em um só lugar. O consumidor não irá buscar por marcas, mas sim, pela melhor condição que os atende. O que pode acabar sendo desvantagem para lojas iniciantes que não tem tanto poder de barganha quanto lojas maiores. 

E-commerce – Casa própria

Não existe esta guerra de melhor canal de vendas, e estar presente em marketplaces é indispensável, de acordo com seu segmento de negócio. 

Porém, investir na loja própria é como investir na casa própria. É configurar o ambiente da forma que o lojista quer, além de poder oferecer produtos exclusivos no e-commerce. 

O marketplace é ótimo para comercializar produtos de grande volume, mais comuns e com alta demanda de mercado. Já no e-commerce, é possível oferecer produtos personalizados, além de oferecer uma experiência de compra diferente e que converse com o seu consumidor. 

A grande vantagem do e-commerce é a fidelização do consumidor, o objetivo de quem vende online. 

Fidelizar um cliente é mais econômico do que conquistar novos todos os dias. Além de oferecer vantagens para que este volte a comprar na loja, através de produtos direcionados e cupons exclusivos, a possibilidade de indicação para conhecidos também é alta. 

Porém, diferente do marketplace, é preciso investir em segurança e marketing. Afinal, sendo a loja nova, é necessário estabelecer autoridade e confiabilidade no meio. A última coisa que o consumidor quer, é ser enganado. 

Qual o melhor: Marketplace ou Loja Própria?

Por que não utilizar de ambos? Ganhe volume nos marketplaces e garanta fidelização e público mais focado no e-commerce próprio. 

Depender apenas dos marketplaces pode ser uma estratégia ruim, uma vez que se mudada as regras da plataforma, as vendas podem despencar. Vendedores líderes já tiveram quedas bruscas do dia para a noite com pequenas mudanças nestes canais. 

Ao mesmo tempo que não estar presente dentro do marketplace pode estar levando o lojista a perder vendas significativas e melhorar a imagem da marca. 

É preciso saber trabalhar as duas vertentes nas vendas online, pois não tem razão para estes canais brigarem entre si. O importante é saber dividir o trabalho entre eles e não deixar nenhum de lado. Da mesma forma que não adianta estar presente em muitos marketplaces e não trabalhar bem a estratégia de nenhum destes. 

Artigo escrito por Carolina Kiuchi da Doutor E-commerce.