Nos manuais de administração sempre se aborda a questão de que um negócio deve ser iniciado com um plano bem estruturado que preveja seu futuro, o mercado a ser atingido, os objetivos de faturamento, entre outros detalhes.

No e-commerce, também é importante fazer um plano de negócios, e neste momento, em que muitos estão iniciando seus negócios online, separamos alguns tópicos para entender como fazer um plano de negócios para o seu e-commerce. E neste planejamento o sistema de gestão será protagonista, para relatar o crescimento, organizar os processos e facilitar o seu trabalho. 

Para que serve um plano de negócios?

Parece óbvio, mas é um processo complexo organizar o plano de negócio de um novo negócio. Ele é um projeto que ajuda a identificar os diferentes panoramas que os administradores terão que levar em conta: desde foco de atuação, clientes, posicionamento, até custos e receitas. Quanto mais os tópicos forem estudados e esmiuçados, mais fácil ficará de obter um conceito mais geral do negócio e até entender as falhas que existem no projeto.

Esse planejamento antes mesmo de tirar a ideia do papel faz com que ajuste as possíveis falhas do e-commerce e evite contratempos. 

Algumas dicas para construir um plano de negócios para o e-commerce

Para a estrutura inicial do plano de negócios, vale analisar o que já tem em mente, levantando informações importantes como se terá sócios ou não, e qual as funções de cada envolvido na operação. Mesmo sendo online, os processos são os mesmos de montar um negócio físico, por isso, vale deixar claro desde o início quais são a missão e o propósito do e-commerce no mercado, onde estará inserida e como funcionará. 

Também já é importante listar em quais modalidades do e-commerce vai atuar, para então definir o capital disponível para iniciar o negócio. Desse capital, já anote também se ele será próprio ou fruto de empréstimo. Listar esses conceitos faz o empreendedor visualizar o negócio como um todo e poder executar o plano de negócios passo a passo, até o momento da execução. Confira abaixo alguns itens que são determinantes para um plano de negócio efetivo: 

Análise de mercado:

Para trazer uma visão ampla e profunda do mercado no nicho que quer apostar, analisar o mercado é fator fundamental. Para isso, coloque a descrição do seu público alvo, ou seja, os clientes que possuem interesse no seu tipo de produto. Mesmo que o nicho seja amplo, faça a segmentação para traçar boas estratégias e comerciais. É claro que as vendas serão pulverizadas para todos os públicos, mas a informação é muito válida para direcionar as estratégias. 

2. Concorrentes:

Outro ponto importante a ser analisado são os concorrentes que competirão com sua marca no mercado. Mapear o segmento e entender onde e como se posicionar perante o consumidor é fundamental para iniciar o negócio. Para o caso de lojista que já tenha loja física e está abrindo o e-commerce, não se detenha nos concorrentes da loja física. As concorrências do online e offline variam bastante e são influenciados por fatores diferentes. 

3. Fornecedores:

Os fornecedores também já devem ser listados no plano de negócios para analisar a qualidade dos produtos que pretende vender, assim como prazos de entrega e facilidades no pagamento. Isso vai te fazer tomar melhores decisões e construir um plano de negócios sólido e embasado. 

Plano de marketing: o que é e como fazer

Dentro do plano de negócios o plano de marketing já está incluso, sendo um passo importante para decidir as estratégias de venda. Essa etapa envolve algumas definições embasadas somente em pesquisas, mas que serão valiosas para poder pensar nas ações de venda:

  • Mapeie seus produtos e faça descrições deles;
  • Já pense em preço, promoções e como serão estruturados no e-commerce;
  • Liste as vantagens competitivas (frete, prazos) para poder já pensar em como anunciar. 

O plano operacional também está no processo com relação às vendas: onde serão, como vai funcionar e quem irá executar. A plataforma de e-commerce é o local onde as vendas vão ocorrer, por isso quem estará envolvido, desde a gestão e administração de cada etapa do processo.

Dentro do plano operacional já se pode pensar na contratação de um sistema de gestão ERP online como o Bling, ideal para e-commerce, integrações aos marketplaces, integrações logísticas, gestão de estoque, emissão de NF-e e boletos, entre outras tantas funções que vão muito além do fluxo de caixa. 

Para começar a pensar na execução também é importante ter um plano financeiro detalhado, abrangendo o valor inicial e o valor de investimento em alguma estrutura física (sala comercial, móveis, eletrônicos, etc). Também já inclua as despesas fixas (água, luz, salários, impostos) e alguns variáveis. O capital de giro também precisa aparecer nessa etapa, que é aquele valor pra suprir necessidades financeiras da empresa. A saúde financeira já deve ser estruturada, para depois, deixar a cargo do ERP Bling, que faz boa parte do serviço financeiro de forma simples e descomplicada. 

Todas as ideias e etapas devem ser colocadas no plano de negócios para que as possibilidades se ampliem e que as vantagens e desvantagens da empresa já estejam previstas antes mesmo de iniciar a operação. Mesmo sendo e-commerce, que teoricamente requer menor investimento, o trabalho e a energia devem ser colocados em conta antecipadamente para evitar grandes surpresas e até, desvantagens econômicas após o negócio funcionar. 

O Bling é parceiro dos pequenos e médios negócios que estão iniciando no meio online, assim como os grandes negócios que já recomendam o ERP Bling. Ele se torna um aliado na gestão do negócio e além de cadastrar produtos e cliente, possui integração aos maiores marketplaces, é emissor de nota fiscal, boletos, e ainda controla estoque e logística.

Se ainda não é um usuário Bling, faça um teste grátis por 30 dias e confira na prática os benefícios.