O Micro Empreendedor Individual (MEI) é um formato dinâmico e simples de iniciar um negócio. Para se ter uma ideia, o Brasil ultrapassou a marca de 10 milhões de registros na modalidade MEI no dia 25 de abril de 2020. Segundo o Portal do Empreendedor, registrou-se 586 mil novas adesões nos quatro primeiros meses do ano. Somente no mês de abril (mês de quarentena e isolamento social) foram 98 mil novos registros. 

Os fatores como o desligamento de funcionários de empresas por conta da crise pandêmica e até a procura por novos desafios, acabaram incentivando muitos brasileiros a empreender, e o MEI é um ótimo formato para começar. 

O Bling é um sistema de gestão que atende muito bem MEI por ser um ERP descomplicado e intuitivo, e com ferramentas que auxiliam de fato quem precisa organizar seu negócio.

O regime tributário simplificado para autônomos e pequenos empresários foi criado em 2009. É uma modalidade que permite que os microempreendedores – com faturamento anual de até R$81mil – se formalizem e tenham um CNPJ próprio. Também por meio do MEI é possível emitir notas fiscais, registrar até uma pessoa  empregada e ter direitos e benefícios previdenciários.  

MEI no e-commerce 

Com o crescimento da modalidade MEI e também o crescimento do e-commerce, é claro que os microempreendedores individuais também querem estar presentes no varejo online. E isso é possível? A resposta é sim. 

Ser MEI não impede o empreendedor de vender na internet e nos marketplaces. Mas é preciso entender as particularidade e quais players aceitam as condições e não se importam com a modalidade do vendedor. É preciso sim ter ofertas competitivas, anunciar produtos com potencial de mercado e ter bons preços de frete. É preciso atentar ao limite anual e mensal do MEI para não extrapolar os limites estabelecidos para a modalidade. 

Alguns canais aceitam melhor que outros o regime tributário, por isso vale pesquisar bastante o seu nicho de mercado e abrangência. Também avalie se consegue dispor de preços competitivos aos seus produtos, antes de iniciar o processo de integração aos marketplaces

Quais Estados o MEI pode emitir NF-e?

Para entender de uma forma geral, o que o MEI encontra de dificuldades em estar presente em marketplaces é no quesito nota fiscal. Alguns canais exigem, por questão de segurança, a geração do documento para todas as vendas concretizadas. Porém nem todos os MEIs emitem nota fiscal eletrônica (NF-e), que é a exigida pelos canais. Trata-se de um arquivo de computador em formato XML, que possui uma chave de acesso comprovando sua originalidade e exclusividade. Por isso, é preciso fazer a consulta sobre se o seu Estado emite a nota fiscal eletrônica, a fim de não ter problemas com os marketplaces que deseja vender.  A lista abaixo mostra todos os estados em que isso é possível:

Estados que MEI pode emitir nf-e com xml: 

  • Acre (ac) – não emite xml
  • Alagoas (al) – emite xml
  • Amapá (ap) – emite xml
  • Amazonas (am) – emite xml
  • Bahia (ba) – emite xml
  • Ceará (ce) – emite xml
  • Distrito federal (df) – emite xml
  • Espírito santo (es) – não emite xml
  • Goiás (go) – emite xml
  • Maranhão (ma) – não emite xml
  • Mato grosso (mt) – emite xml
  • Mato grosso do sul (ms) – emite xml
  • Minas gerais (mg) – emite xml
  • Pará (pa) – emite xml
  • Paraíba (pb) – emite xml
  • Paraná (pr) – emite xml
  • Pernambuco (pe) – não emite xml
  • Piauí (pi) – emite xml
  • Rio de janeiro (rj) – emite xml
  • Rio grande do norte (rn) – emite xml
  • Rio grande do sul (rs) – emite xml
  • Rondônia (ro) – emite xml
  • Roraima (rr) – emite xml
  • Santa catarina (sc) – emite xml
  • São paulo (sp) – emite xml
  • Sergipe (se) – emite xml
  • Tocantins (to) – emite xml

Exceções para MEI no marketplace:

  • Pré requisitos para MEI em marketplace:
  • Declarações de conteúdo;
  • Nota fiscal eletrônica (nf-e) com chave de acesso digital e emitida no formato de arquivo xml;
  • Conta jurídica (com o mesmo cnpj da empresa) para recebimento dos pagamentos;
  • Produtos com código de barras legítimos e estoque a pronta entrega;
  • Itens com dimensões dentro dos limites estabelecidos pelos correios.

Escolhendo o marketplace para vender mais e melhor 

O MEI precisa passar por diversos processos para vender em marketplaces, mas é super possível. Vale atentar a todas as restrições para que tudo corra bem. Na hora de escolher o canal de venda, é preciso levar em conta o potencial de vendas do marketplace e também como ele auxilia os lojistas nas suas estratégias de venda, a fim de crescer e se desenvolver no e-commerce. 

Uma boa dica é estudar quais marketplaces são preparados para receber lojistas pequenos, que entendam suas dificuldades e ajudem na superação dos desafios iniciais. Vale também considerar alguns fatores que podem auxiliar a escolher os canais parceiros: 

Visibilidade do canal

No e-commerce, não importa o tamanho do seu negócio, a visibilidade é um fator determinante para alavancar suas vendas. Portanto, procure marketplaces que tenham bastante audiência e que também ajudem a aumentar a exposição dos seus produtos e consequentemente possam ser agentes de vendas. Leve em conta para quais regiões quer vender, e se possível entregue em todo o Brasil, para que o seu negócio não tenha fronteiras. A pesquisa de opinião sobre o canal de venda antes de fechar contrato é importante para que se possa ter base da sua reputação como vendedor e satisfação dos lojistas. 

Suporte para MEIs

É preciso que o marketplace tenha um preparo especial para atender os pequenos e médios parceiros também, não apenas grandes sellers. O Microempreendedor é uma classificação de pequeno vendedor, por isso precisa estar em canais que valorizam a categoria. Algumas plataformas inclusive oferecem treinamentos para auxiliar o lojista a utilizar a plataforma e compartilham conteúdos que ajudam a criar estratégias de venda importantes para quem está começando a atuar no comércio eletrônico. São detalhes, mas que fazem muita diferença na hora de operar e gerenciar seus anúncios e vendas, aproveitando da melhor forma a oportunidade de expandir seu negócio que o e-commerce proporciona. 

Dicas para vender em marketplaces 

Algumas dicas são valiosas para quem está iniciando a trabalhar no meio online. O Mercado Livre, por exemplo, é um marketplace que não exige a emissão de notas fiscais, o que acaba facilitando quem não consegue fazer essa operação no momento. 

Um sistema de gestão também é um grande facilitador para quem quer vender online. Vender em marketplaces pode trazer mais simplicidade para algumas operações, uma vez que possui um sistema integrado para padronizar seu atendimento, o que pode facilitar a logística para e-commerce e a emissão de nota fiscal, a partir do ERP .

É possível optar pela integração de marketplace, realizando a venda em diferentes plataformas de uma maneira mais automatizada e inteligente. Isso amplia as possibilidades do vendedor converter ao mesmo tempo que marca a presença da marca e seus produtos, ampliando a vitrine a diferentes consumidores. A integração de marketplace é uma importante ferramenta para quem deseja aumentar suas vendas e atingir novos mercados. Ao expor seus produtos ou serviços em mais de um lugar, contando com a confiança e tradição de uma plataforma já conhecida pelo cliente, você aumenta as chances de conquistar novos clientes ao mesmo tempo que pode continuar realizando transações com consumidores fidelizados.

Como escolher o melhor marketplace para MEI

  • Visibilidade do canal
  • Suporte para Meis
  • Opções para seu crescimento

Marketplace que aceitam para MEI: 

  • Americanas 
  • Submarino
  • Shoptime 
  • Mercado livre

Limite de faturamento para MEI

  • R$ 81 mil no ano, ou R$ 6.750 mensais

Obrigações do MEI nos marketplaces

Também é preciso lembrar que os Correios exigem a apresentação da nota fiscal impressa e anexa na embalagem do produto. No caso específico dos MEIs, é possível optar pela declaração de conteúdo, exceto quando a venda for para outra empresa. Como se trata de uma plataforma aberta para pessoas físicas, o Mercado Livre permite que lojistas MEI façam a venda independente da emissão da nota fiscal. Trata-se, portanto, de uma ótima opção para quem está começando. Outros grandes e-commerces já estão fazendo testes para aceitar vendedores desse regime tributário, mas ainda não se trata de uma prática oficial.

Atenção MEI: é preciso declarar Imposto de Renda 

A Declaração Anual do Simples Nacional (DASN SIMEI) deve ser entregue até 31 de maio, referente ao exercício fiscal do ano anterior. Fique atento: caso você não respeite o prazo e faça a DASN SIMEI com atraso, haverá cobrança de multa no valor mínimo de R$ 50 (cinquenta reais), ou 2% ao mês, tendo como base os valores declarados.

Como fazer declaração DASN SIMEI

Para fazer a sua declaração anual DASN SIMEI, o processo é bastante intuitivo. O MEI deve acessar a plataforma online do Portal do Empreendedor, ligada ao Simples Nacional, e procurar pela opção de fazer a declaração, informando seu CNPJ de cadastro.

Para declarar o DASN SIMEI 2019, você deve considerar que o seu prazo acabará em 31 de maio de 2020. Se organize e entenda que, neste lançamento, deverá constar o seu faturamento total anual, preenchendo o campo “Valor da Receita Bruta Total”.

Principais cuidados antes de entrar em um marketplace

Principalmente para quem está começando nesse meio, é importante atentar a algumas a algumas dicas simples mas que podem fazer toda a diferença: 

  • Prazos de entrega: a logística, por exemplo, é fundamental para a boa experiência do cliente com a sua loja. É necessário respeitar os prazos de entrega para não sofrer punições ou uma má reputação.
  • Fique atento ao gerenciamento de contas do negócio: Apesar do marketplace trazer diversas funcionalidades e a possibilidade de automação de alguns processos, isso não significa que você não precisa ter um pouco de atenção.
  • Taxa de comissionamento: antes de tudo, saiba bem qual é a taxa de comissionamento que deve ser paga ao marketplace, para que você consiga, inclusive, precificar adequadamente os seus produtos.

Integração Marketplace: uma das maiores vantagens de utilizar o Bling!

É possível optar pela integração de marketplace, realizando a venda em diferentes plataformas de uma maneira mais automatizada e inteligente. Isso amplia as possibilidades do vendedor converter ao mesmo tempo que marca a presença da marca e seus produtos, ampliando a vitrine a diferentes consumidores.

A integração de marketplace é uma importante ferramenta para quem deseja aumentar suas vendas e atingir novos mercados. Ao expor seus produtos ou serviços em mais de um lugar, contando com a confiança e tradição de uma plataforma já conhecida pelo cliente, você aumenta as chances de conquistar novos clientes ao mesmo tempo que pode continuar realizando transações com consumidores fidelizados.

O Bling! possui integração os maiores marketplaces do mercado e mesmo assim, através do sistema de gestão, a administração das vendas também fica simplificada, uma vez que boa parte do processo é feita diretamente pela plataforma. Sendo assim, o lojista pode se focar em oferecer o melhor serviço e os melhores preços, tornando-se mais competitivo. Escolha o Bling! para vender os seus produtos em diversos marketplaces, com mais segurança e praticidade. 

E-commerce com gestão eficiente é com o Bling!

O universo do e-commerce é cheio de oportunidades mas também de muitos concorrentes. Fazer um serviço de excelência é importante para quem quer vender mais e atender bem às expectativas dos seus clientes. 

O sistema de gestão passa a se tornar um aliado no trabalho do dia a dia, aumentando a produtividade dos colaboradores e garantindo mais tempo para a equipe pensar no negócio de forma inteligente, criativa e estratégica. A partir disso, as ações de gestão ficarão mais simplificadas, e o tempo passa a ser destinado a pensar no negócio de forma criativa. 

O e-commerce está sempre com novidades e é preciso estar atento às mudanças para vender mais e melhor, buscando sempre a melhor experiência para seu consumidor, garantindo assim boa reputação no meio virtual. 

Se ainda não é cliente Bling, faça um teste grátis por 30 dias e confira na prática os benefícios e as facilidades que um sistema de gestão ERP online, descomplicado e eficiente pode fazer pelo seu negócio.